No inicio do blog

22 de outubro de 2014

Plural de substantivos compostos - exercícios

1. Numa das seguintes frases, há uma flexão de plural grafada erradamente:

a) os escrivães serão beneficiados por esta lei.
b) o número mais importante é o dos anõezinhos.
c) faltam os hifens nesta relação de palavras.
d) Fulano e Beltrano são dois grandes caráteres.
e) os répteis são animais ovíparos.

2. Assinale o par de vocábulos que fazem o plural da mesma forma que “balão” e “caneta-tinteiro”:
a) vulcão, abaixo-assinado;
b) irmão, salário-família;
c) questão, manga-rosa;
d) bênção, papel-moeda;
e) razão, guarda-chuva.

3. Assinale a alternativa em que está correta a formação do plural:
a) cadáver – cadáveis;
b) gavião – gaviães;
c) fuzil – fuzíveis;
d) mal – maus;
e) atlas – os atlas.

4. Indique a alternativa em que todos os substantivos são abstratos:
a) tempo – angústia – saudade – ausência – esperança– imagem;
b) angústia – sorriso – luz – ausência – esperança –inimizade;
c) inimigo – luz – esperança – espaço – tempo;
d) angústia – saudade – ausência – esperança – inimizade;
e) espaço – olhos – luz – lábios – ausência – esperança.

5. Assinale a alternativa em que todos os substantivos são masculinos:
a) enigma – idioma – cal;
b) pianista – presidente – planta;
c) champanha – dó(pena) – telefonema;
d) estudante – cal – alface;
e) edema – diabete – alface.

6. Sabendo-se que há substantivos que no masculino têm um significado; e no feminino têm outro, diferente. Marque a alternativa em que há um substantivo que não corresponde ao seu significado:
a) O capital = dinheiro;
A capital = cidade principal;

b) O grama = unidade de medida;
A grama = vegetação rasteira;

c) O rádio = aparelho transmissor;
A rádio = estação geradora;

d) O cabeça = o chefe;
A cabeça = parte do corpo;

e) A cura = o médico.
O cura = ato de curar.

7. Marque a alternativa em que haja somente substantivos sobrecomuns:
a) pianista – estudante – criança;
b) dentista – borboleta – comentarista;
c) crocodilo – sabiá – testemunha;
d) vítima – cadáver – testemunha;
e) criança – desportista – cônjuge.

8. Aponte a seqüência de substantivos que, sendo originalmente diminutivos ou aumentativos, perderam essa acepção e se constituem em formas normais, independentes do termo derivante:
a) pratinho – papelinho – livreco – barraca;
b) tampinha – cigarrilha – estantezinha – elefantão;
c) cartão – flautim – lingüeta – cavalete;
d) chapelão – bocarra – cidrinho – portão;
e) palhacinho – narigão – beiçola – boquinha.

9. Dados os substantivos “caroço”, “imposto”, “coco” e “ovo”, conclui-se que, indo para o plural a vogal tônica soará aberta em:
a) apenas na palavra nº 1;
b) apenas na palavra nº 2;
c) apenas na palavra nº 3;
d) em todas as palavras;
e) N.D.A.

10. Marque a alternativa que apresenta os femininos de “Monge”, “Duque”, “Papa” e “Profeta”:
a) monja – duqueza – papisa – profetisa;
b) freira – duqueza – papiza – profetisa;
c) freira – duquesa – papisa – profetisa;
d) monja – duquesa – papiza – profetiza;
e) monja – duquesa – papisa – profetisa.

11.O plural dos substantivos “couve-flor”, “pão-de-ló” e “amor-perfeito”, é:
a) couve-flores; pães-de-ló; amores-perfeitos;
b) couves-flores; pães-de-ló; amores-perfeitos;
c) couves-flores; pão-de-ló; amor-perfeitos;
d) couves-flores; pão-de-lós; amores-perfeitos;
e) couves-flores; pães-de-ló; amor-perfeitos.

12. Indique o grupo de substantivo que só admite o artigo “o” :
a) cal, dó, sentinela;
b) contralto, eczema, aluvião;
c) hosana, apêndice, apendicite;
d) telefonema, eclipse, afã;
e) trama, elipse, omoplata.

13. Indique a alternativa que apresenta erro na forma do plural:
a) sol: sóis; fúsil: fúseis; anão: anões;
b) peão: peões; guardião: guardiãos; caráter: caracteres;
c) órgão: órgãos;corrimão: corrimãos; mel: méis;
d) sótão: sótãos; álcool: álcoois; cônsul: cônsules;
e) faisão: faisães; anil: anis; capitão: capitães.

14. Assinale a alternativa que contiver todos os termos com plural correto:
a) luso-brasileiras; rosas-chá; sapatos-areia; decretos-lei;
b) guardas-marinha; prócers; procônsules; totens;
c) grã-cruzes; chefes-de-seção; surdo-mudos; primas-donas;
d) saias-calças; ouvidores-mor; baixos-relevos; gatos-pingados;
e) sapatos-de-cristais; coronéis-de-barrancos; olhosde-gatos.

15. Entre os substantivos aqui relacionados, há um que é do masculino qual?
a) hóstia;
b) Anátema;
c) Ráfia;
d) Antífona;
e) Estenia.

GABARITO:

1. D
2. C
3. E
4. D
5. C
6. E
7. D
8. C
9. E
10. E
11. B
12. D
13. B
14. A
15. B

Tema de redação

As experiências do passado podem contribuir para a evolução do futuro?
Modelo ENEM

21 de outubro de 2014

Seis dicas para escrever a redação do ENEM

1- Letra ilegível: Eis o primeiro grande equívoco. Não é possível querer obter sucesso na redação com uma letra cuja qual o corretor terá que decifrar, concorda? Além disso, quando escreve um texto ¨limpo¨ e com letra caprichada, você facilita o trabalho do corretor, o que já te deixa em vantagem em relação aos candidatos que não o fazem. Aproveite os próximos textos que irá fazer para treinar sua caligrafia também. Durante a prova, caso cometa algum erro ortográfico, trace um risco sobre ela, vírgula escreva-a corretamente e continue o texto.
2- Trocar o gênero exigido pela proposta: Muita atenção aqui, pois este erro pode levá-lo a nota zero na redação! O gênero exigido na redação do Enem é a Dissertação – Argumentativa. Nada de narrativas, cartas ou poesias. Esse gênero consiste num texto opinativo que se organiza na defesa de seu ponto de vista sobre o tema.
3- Fugir do tema: Outro importante erro que é passível de zerar sua redação. Divagar ou ¨viajar¨ no tema proposto caracterizam esse deslize. Para evitá-lo, leia com muita atenção a proposta e certifique-se que, além de deixar clara sua opinião, também está dando uma solução adequada à problemática abordada pelo tema;
4- Evitar chavões, clichês e argumentos frágeis: Certamente você já ouviu essa recomendação, mas não é exagero ressaltar. Generalizações como “antes só do que mal acompanhado”, ¨faca de dois gumes¨ e ¨fechar com chave de ouro¨, por exemplo, demonstram falta de originalidade do autor, além de empobrecer muito o texto;
5- Cometer erros na grafia ou concordância: Erros de acentuação e escrita das palavras, recorrentes no mesmo texto, levam a perda de pontos preciosos. Pontuação incorreta, e falta de concordância, como ¨Fazem muitos meses¨, podem alterar o sentido das frases e comprometer a redação. A principal dica aqui é que você faça uma boa revisão após concluir seu texto, relendo-o mais de uma vez se possível.
6- Deixar de lado a coerência e a coesão: A conexão entre os parágrafos e as ideias deve ser bem estabelecida para garantir a fluência do texto. Uma boa dica neste ponto, é escrever de forma que o próximo para parágrafo responda ou dê sequência ao anterior. Não contradizer seus argumentos/ideias e manter a pessoa gramatical (iniciar o texto em terceira pessoa e depois não mudá-lo para primeira pessoa, por exemplo) também são passos fundamentais para não perder a coerência;

Que tipo de letra utilizo na redação do ENEM

“A redação do Enem pode ser escrita em letra de forma?”
Infelizmente o Inep não esclarece, de forma explícita, essa dúvida no guia do participante deste ano. Entretanto, nos itens que o próprio guia destaca como motivos para zerar a redação, NÃO é citado o uso da letra de forma.
Além disso, no edital também não consta nenhuma informação quanto a proibição.
Sendo assim, pode ficar tranquilo que a utilização da letra de forma no Enem é permitida, sem nenhum comprometimento do desempenho e da nota do candidato.
Vale ressaltar que, referente a esse assunto, sua preocupação deve estar voltada para a legibilidade da escrita. Mais ainda! Tente agradar os corretores que, talvez até sem perceber, estejam mais propensos a dar notas maiores quando encontram letras bonitas e que não necessitam de nenhum esforço para serem compreendidas.
Estando dentro da legalidade, vale tudo para conseguir uma boa nota. Assim sendo, nossa recomendação é que não basta uma letra legível. Tente caprichar o máximo possível! Agrade os corretores!

20 de outubro de 2014

Mais um texto de apoio sobre ética - tema de redação

Para Aristóteles o homem deveria ser correto virtuoso e ético 
Para Aristóteles o homem deveria ser correto virtuoso e ético

A palavra ética é de origem grega derivada de ethos, que diz respeito ao costume, aos hábitos dos homens. Teria sido traduzida em latim por mos ou mores (no plural), sendo essa a origem da palavra moral. Uma das possíveis definições de ética seria a de que é uma parte da filosofia (e também pertinente às ciências sociais) que lida com a compreensão das noções e dos princípios que sustentam as bases da moralidade social e da vida individual. Em outras palavras, trata-se de uma reflexão sobre o valor das ações sociais consideradas tanto no âmbito coletivo como no âmbito individual.
O exercício de um pensamento crítico e reflexivo quanto aos valores e costumes vigentes tem início, na cultura ocidental, na Antiguidade Clássica com os primeiros grandes filósofos, a exemplo de Sócrates, Platão e Aristóteles. Questionadores que eram, propunham uma espécie de “estudo” sobre o que de fato poderia ser compreendido como valores universais a todos os homens, buscando dessa forma ser correto, virtuoso, ético. O pano de fundo ou o contexto histórico nos qual estavam inseridos tais filósofos era o de uma Grécia voltada para a preocupação com a pólis, com a política.
A ética seria uma reflexão acerca da influência que o código moral estabelecido exerce sobre a nossa subjetividade, e acerca de como lidamos com essas prescrições de conduta, se aceitamos de forma integral ou não esses valores normativos e, dessa forma, até que ponto nós damos o efetivo valor a tais valores.
Segundo alguns filósofos, nossas vontades e nossos desejos poderiam ser vistos como um barco à deriva, o qual flutuaria perdido no mar, o que sugere um caráter de inconstância. Essa mesma inconstância tornaria a vida social impossível se nós não tivéssemos alguns valores que permitissem nossa vida em comum, pois teríamos um verdadeiro caos.  Logo, é necessário educar nossa vontade, recebendo uma educação (formação) racional, para que dessa forma possamos escolher de forma acertada entre o justo e o injusto, entre o certo e o errado.
Assim, a priori, podemos dizer que a ética se dá pela educação da vontade. Segundo Marilena Chauí em seu livro Convite à Filosofia (2008), a filosofia moral ou a disciplina denominada ética nasce quando se passa a indagar o que são, de onde vêm e o que valem os costumes. Isto é, nasce quando também se busca compreender o caráter de cada pessoa, isto é, o senso moral e consciência moral individuais. Segundo Chauí, podemos dizer que o Senso Moral é a maneira como avaliamos nossa situação e a dos outros segundo ideias como a de justiça, injustiça, bom e mau. Trata-se dos sentimentos morais. Já com relação à Consciência Moral, Chauí afirma que esta, por sua vez, não se trata apenas dos sentimentos morais, mas se refere também a avaliações de conduta que nos levam a tomar decisões por nós mesmos, a agir em conformidade com elas e a responder por elas perante os outros. Isso significa ser responsável pelas consequências de nossos atos.
Assim, tanto o senso moral como a consciência moral vão ajudar no processo de educação de nossa vontade. O senso moral e a consciência moral tem como pressuposto fundamental a ideia de um agente moral, o qual é assumido por cada um de nós. Enquanto agente moral, o indivíduo colocará em prática seu senso e consciência, pois são importantes para a vida em grupo entre vários outros agentes morais.
Logo, o agente moral deve colocar em prática sua autonomia enquanto indivíduo, pois aquele que possui uma postura de passividade apenas aceita influências de qualquer natureza. Assim, consciência e responsabilidade são condições indispensáveis à vida ética ou moralmente correta.

Tema de redação

É a única maneira de viver as nossas vidas. Ética é algo objetivo, ou você tem ou não tem. Tem que estar dentro de todos, tem que vir da “alma”. Um comportamento digno que se aprende no berço. É o que pode e o que não pode.
Ser correto e verdadeiro é condição essencial para o crescimento humano, para o desenvolvimento sustentável de um povo. Ética é não jogar o papel no chão, é não tentar “dar um jeitinho”, é pagar os impostos, é não querer levar vantagem. É exercer os direitos, mas principalmente os deveres da cidadania. Devemos esperar do outro um comportamento ético sim, mas é imprescindível que cada um faça a sua parte, antes de tudo.
Ser ético é ser generoso e responsável. Nas relações pessoais, nas reuniões com grupos de pessoas, no espaço coletivo; na sua cidade, na rua, a ética é necessária. Todos temos nossas idéias e convicções, mas, antes está o bem comum, a ética.
Ética não pode ser um atributo ou qualidade, tem que ser uma condição natural, algo que se espera de todos. É uma obrigação não apenas do cidadão, ética é obrigação da nação, um princípio fundamental para que se possa construir uma sociedade justa. Aos que governam e representam a nação, ter ética é um dever básico. Ter respeito pelo que é nosso.
Ética é atitude, o que se espera, não do amanhã, mas de hoje.
O que é ser ético? ENEM

Tema de redação

Felicidade: direito ou dever? Afinal o que é ser feliz hoje? O consumismo exacerbado mudou completamente as regras da felicidade, pois a grande maioria a embasa  em aparências,em  consumir. Então, felicidade está ou não atrelada ao direito ou ao dever de ser feliz? O culto à felicidade tornou a dor insuportável? ENEM

Sicrano

Foto: Sicrano

19 de outubro de 2014

Morte de estudante da USP

Nova droga pior que LSD e produzida na Ásia já circula na Paraíba; polícia investiga

Substância já fez vítimas e, por ser incolor e sem cheiro, é facilmente camuflada em micropontos de LSD; efeitos são semelhantes ao ácido lisérgico
Polícia | Em 16/03/14 às 17h05, atualizado em 17/03/14 às 10h08 | Por Redação
Reprodução/ Tumblr / whydontyouhaveaseat
Novas substâncias são escondidas em micropontos de LSD
Conhecida por 25I-NBOMe e tratada por apenas 25i, uma das novas 21 drogas proibidas recentemente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já chegou à Paraíba. As substâncias são alucinógenas e dez vezes mais fortes que o LSD (dietilamida do ácido lisérgico). Incolor e sem cheiro, o entorpecente é facilmente camuflado em micropontos de LSD e ecstasy. Segundo informações da Polícia Civil, a 25i já é investigada, mas não divulgou se há apreensões no estado, devido a grande dificuldade de reconhecimento da droga.
Sintetizadas na Índia e na China, as drogas vêm pela Europa para o Brasil e são distribuídas para o estado de São Paulo, que repassa, no Nordeste, para Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba.
A 25i apresenta reações que podem ultrapassar as 12 horas. Entre os efeitos estão o aumento da percepção visual, euforia, estímulo mental e físico, sensação de bem estar, calor, e sensação aguçada do tato.
“Diferente do LSD, essas novas substâncias têm um gosto amargo muito forte e chegam a causar dormência na boca. É muito perigoso”, relatou um usuário de LSD que não quis se identificar. “Já vi gente surtar e passar muito mal após ingerir essas coisas por engano”, disse.
Além da metilona e da 25i, foram proibidas pela Anvisa as substâncias 25C-NBOMe, 25D-NBOMe, 25B-NBOMe, 25E-NBOMe, 25N-NBOMe, 25P-NBOMe, 25T2-NBOMe, 25T2-NBOMe, 25T7-NBOMe, 25H-NBOMe, 2C-C, 2C-D, 2C-E, 2C-F, 2C-I, 2C-T-2, 2C-T-7, MXE e 5IAI.

18 de outubro de 2014

Sempre é bom saber

Foto

Cartão do Enem


Desde o início deste mês de outubro temos recebido inúmeras mensagens de e-mail de leitores / estudantes ansiosos e basicamente com a mesma dúvida: Quando vou receber meu cartão de confirmação de inscrição e saber o local onde fará o Enem 2014?
Primeiramente vamos esclarecer a relação entre o cartão e o local de prova. O primeiro consiste num documento oficial que será posta no correio pelo Ministério da Educação (MEC) para o endereço cadastrado por cada um dos 8,7 milhões de candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio.
O cartão de confirmação trará, entre dados pessoais e opções escolhidas pelos participantes no momento da inscrição, o local exato (escola ou universidade, prédio, bloco, sala etc.) onde o estudante realizará as provas desta edição do Enem.
A questão é que, tradicionalmente, o MEC tem enviado tais cartões dias antes da prova. Muitos inscritos, especialmente aqueles que prestarão o exame pela primeira vez, ficam ansiosos e pensam que não receberão o documento. Se você é um deles, acalme-se, o mesmo deve chegar em sua residência ainda neste mês, conforme previmos nesta matéria.
E se eu não receber meu cartão?
Por se tratar do maior exame do Brasil, com dimensões continentais, é absolutamente natural que uma pequena porcentagem dos candidatos não receba o cartão, seja por falha do MEC ou de logística do correio.
Se isso ocorrer com você, não se desespere. Todos os anos, após anunciar o envio dos cartões, o MEC disponibiliza o documento para consulta na internet, no sistema do Inep (órgão responsável pela organização do Enem). Neste momento será possível também fazer a impressão do documento.
E se mudei de endereço após as inscrições do Enem?
Muitos participantes mudaram-se de endereço durante o ano, o que obviamente resultará em não recebimento do cartão, uma vez que o mesmo será enviado para o endereço informado no momento da inscrição.
Como não é possível alterar este dado, a recomendação é que aguarda a liberação da consulta online para acessar o site do Inep e imprimir o documento.

Dez dicas para escrever bem

São Paulo - Ser íntimo - verdadeiramente íntimo - das palavras é privilégio dos grandes escritores. Mas você não precisa ser nenhum gênio da literatura para depender de alguma familiaridade com a língua no trabalho.
Afinal, currículos, relatórios, e-mails e inúmeros outros documentos escritos fazem parte da rotina de todo profissional. Obter o máximo de clareza nesses textos cotidianos é essencial para evitar mal-entendidos e até conflitos com colegas e chefes.
“Você sempre precisa se colocar no lugar do seu leitor”, recomenda Reinaldo Passadori, especialista em comunicação verbal. Isso significa revisar seus textos “esquecendo” que você sabe do que tratam.
De acordo com Passadori, essa é a melhor maneira de perceber frases ambíguas, passagens confusas ou referências incompreensíveis para quem tem contato com a sua redação pela primeira vez.
Para ganhar agilidade nessa revisão, a recomendação é praticá-la o máximo possível. “É preciso cultivar o bom hábito de escrever muito, sempre”, diz Diogo Arrais, professor de língua portuguesa do Damásio Educacional.
A tarefa pode parecer difícil, mas não é. Com a ajuda dos dois especialistas, EXAME.com compilou 10 conselhos básicos para aperfeiçoar a escrita do cotidiano:
1. Saiba do que está falando
Antes de tudo, você precisa conhecer muito bem o tema, o propósito e o objetivo do seu texto. Tal etapa precede o início da redação. “Para que você escreve? Busca informar, motivar, persuadir? Você precisa dessas respostas para começar”, diz Passadori.
2. Use frases curtas
Dar rodeios ou escrever sentenças muito longas pode confundir o seu leitor. Prefira orações breves e simples. “A concisão é a maior aliada da clareza”, diz Passadori.
3. Cuide da pontuação
Um texto mal pontuado tem muitas chances de conter ambiguidades. Sinais gráficos como vírgulas e pontos finais não são decorativos: servem para organizar e, sobretudo, dar sentido à sua mensagem.
4. Prefira a ordem direta
Em nome da clareza, é recomendável construir frases com sujeito, verbo e complemento, nessa sequência. “Escolha sempre a forma mais simples possível de expressar a sua ideia”, diz Arrais.
5. Torne suas ideias palpáveis
Passadori recomenda o uso de metáforas para explicar conceitos abstratos. “Comparações com elementos concretos tornam o seu texto mais compreensível e didático”, explica.
6. Evite abreviaturas e siglas obscuras
Também se recomenda cuidado com formas reduzidas de palavras e expressões. “Na correria do dia a dia, podemos escrever abreviaturas e siglas que não são conhecidas por todos”, explica Arrais. A dica é verificar em dicionários aquelas que são de uso comum na língua portuguesa.
7. Procure não repetir ideias
Arrais recomenda atenção especial às possíveis redundâncias da sua comunicação. “Os pleonasmos viciosos são uma praga da escrita, e podem comprometer muito o sentido de um texto”, alerta o professor.
8. Deixe as emoções de fora
O estresse rotineiro do expediente muitas vezes pode contaminar a expressão escrita, gerando textos confusos e truncados. “É importante buscar serenidade e equilíbrio emocional na hora de concatenar ideias no papel”, aconselha Passadori.
9. Saiba o verdadeiro significado das palavras
Usar palavras difíceis - sobretudo aquelas cujo significado nem você conhece - é outro convite ao mal-entendido. O remédio é a leitura frequente. “Além de literatura em geral, buscar obras ligadas à sua área profissional contribui com vocabulário técnico”, aconselha Arrais.
10. Conheça o seu público-alvo
O que é claro para alguns pode não ser para outros, segundo Passadori. O nível de familiaridade do seu leitor com o tema do seu texto, por exemplo, determinará se ele pode ou não conter certas alusões, termos técnicos, entre outros elementos.

A redação e os vestibulares

No meio do caminho entre as provas de Linguagens e de Matemática, a redação tende a preocupar os candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os estudantes se veem obrigados a refletir e propor soluções para problemas sociais que atingem a nação como um todo – tarefa nada fácil para quem é jovem e está recém tentando entrar na faculdade.
Para vencer o desafio é preciso não apenas entender o que a proposta pede como também descrever os problemas apresentados, opinar sobre eles, argumentarquanto à necessidade de resolvê-los e definir uma forma de intervenção factível e, necessariamente, ética. Tudo isso sem descuidar do português: a correção gramatical, ainda que menos exigida no Enem – que tolera um ou outro deslize –, também é importante para conseguir uma boa nota.
Foi reunindo todas essas características que Larissa Reghelin Comazzetto, 19 anos, chegou à nota máxima na redação do Enem – o que a ajudou a conseguir uma vaga no curso de Medicina da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). A estudante destaca que o sucesso reflete o esforço de um ano inteiro. Nas semanas que antecederam a prova, a preparação foi se intensificando: ela chegou a escrever mais de cinco redações por semana, em meio às aulas do cursinho e do colégio.
Para ter uma redação nota mil, Larissa explica que, além de praticar bastante, é importante fazer muitas leituras e se manter bem informado.
– É isso que te dá o que incluir na redação, para deixá-la bem completa. As informações que estão nos textos de apoio todo mundo vai colocar, então é importante pensar no que tu podes ter de diferente, o que os outros não colocariam – diz a estudante.

Leitura de textos indicados pelo Inep A dica é compartilhada por David Mendes, 21 anos, que conseguiu a sonhada vaga em Medicina na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) neste ano. A prática, no caso dele, não era diária, mas estava sempre baseada em muita leitura de livros, jornais e revistas. Textos recomendados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (lnep) – autarquia do Ministério da Educação responsável pelo Enem – também serviram de inspiração.
David acabou aplicando a fórmula da redação (em que tirou nota 960) também às provas de outros vestibulares. Assim, sempre propunha soluções para os problemas apresentados – ainda que a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), por exemplo, não exija propostas de intervenção na dissertação. Ambos os estudantes relatam que ler e escrever sobre problemas sociais do país os ajudaram a conseguir boas notas: prática que, em um exame que preza pela reflexão e relação do que é visto em sala de aula com o cotidiano, acaba servindo para qualquer uma das provas.
Para se inspirar
- Busque exemplos de temas que podem cair na redação e escreva sobre eles 
- Procure as redações recomendadas pelo Inep como exemplares, lendo também os comentários
- Leia editoriais ou crônicas, entenda a posição do autor ou veículo e se posicione, por escrito, a respeito

Estrutura do texto
Introdução: é onde o autor contextualiza seu texto, explicando por que o assunto é importante. A exposição pode ter de um a dois parágrafos
Desenvolvimento: aqui devem transparecer a opinião e os argumentos do autor, e seu posicionamento deve ser justificado. De dois a três parágrafos
Conclusão: retomando o que foi abordado até ali, é preciso fechar a discussão. Não deixe de apresentar perspectivas para a resolução do problema – geralmente em um parágrafo

- Em meio a isso, é preciso ainda apresentar uma proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. A solução costuma vir no final do texto, mas não há uma regra

As cinco competências
A banca avalia as seguintes qualidades no texto:
Competência 1 – Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa
Competência 2 – Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para desenvolver o tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo
Competência 3 – Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista
Competência 4 – Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários à construção da argumentação
Competência 5 – Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos

Pratique
- Faça pelo menos um texto por semana, e procure a ajuda de um professor para avaliá-lo
- Reflita sobre temas polêmicos. Isso contribui para desenvolver um posicionamento crítico, mesmo que esses temas não sejam cobrados na redação
- Passe suas opiniões para o papel, seguindo o formato exigido na redação do Enem
- Leia notícias, crônicas, livros. Pode soar como desestímulo ao estudos, mas contribui para sua formação intelectual – e produção textual.

O ambiente em perigo

O planeta Terra é um delicado ecossistema gigante. É muito mais fácil do que você imagina tirá-lo do equilíbrio. Infelizmente, isso é exatamente o que os seres humanos têm vindo a fazer nos últimos cem anos.
Enquanto nesses anos temos visto um enorme salto na realização humana, também tem havido um declínio correspondente na natureza. Agora, as espécies que são vitais para a sobrevivência humana estão em risco de colapso, e isso não é bom. Aqui estão seis das espécies mais importantes que estão sob ameaça.

1) As abelhas

Abelhas
As abelhas são, provavelmente, as espécies mais ameaçadas nesta lista. Elas desempenham um papel enorme em nosso sistema de produção moderna de alimentos por polinização de culturas. Sem a polinização, a produção de alimentos cairia vertiginosamente.
Infelizmente, nas últimas décadas temos visto quedas em populações de abelhas de até 80% em algumas áreas do mundo. Isso é um fato arrepiante provocado provavelmente pelas mudanças climáticas. Se uma forma de recuperar a população de abelhas não for encontrada, o planeta pode enfrentar fome em massa.

2) Plâncton

Plâncton
Ao contrário do que muitos acreditam, o plâncton não é uma única espécie, mas sim um grande grupo de animais diferentes. Plâncton é definido como qualquer espécie que é muito pequena para resistir à corrente e nadar por conta própria.
Plânctons produzem 50%do oxigênio do mundo, mas estão sob ameaça de poluição, que está fazendo o oceano mais tóxico.

3) Borboletas

Borboletas
As borboletas ajudam na polinização, da mesma forma que as abelhas fazem. Elas também são muito úteis para os cientistas realizarem pesquisas sobre mudanças climáticas. A espécie reage mais rápido às mudanças menores na temperatura e clima, o que pode fornecer dados valiosos quase em tempo real.

4) Morcegos

Morcegos
Morcegos comem muitos e muitos insetos. Na verdade, eles comem mais insetos do que quase qualquer animal na Terra. Este é um fantástico serviço público, uma vez que significa que você tem que se preocupar menos com aranhas e mosquitos. Eles são uma parte vital do ecossistema terrestre.
Infelizmente, 1 em cada 5 espécies de morcegos está sendo empurrada para a extinção, devido a destruição do habitat.

5) Peixes

Captura de Tela 2014-10-16 às 13.09.47
Além de ser uma parte vital da cadeia alimentar do oceano, uma nova pesquisa sugere que os peixes podem ajudar a diminuir a acidez do oceano.
Bem, não exatamente o peixe, mas os seus excrementos. No entanto, o excesso de pesca está desempenhando um papel cada vez mais grave na redução da população de peixes em todo o mundo.

6) Os fungos

Captura de Tela 2014-10-16 às 13.10.05
Os fungos são provavelmente as espécies menos ameaçadas nesta lista. Independentemente disso, eles têm um lugar especial na ordem natural. Eles são recicladores da natureza, o que significa que eles se alimentam de coisas mortas e as transformam em nutrientes para o meio ambiente.
No entanto, certas espécies de fungos estão enfrentando as mesmas ameaças das mudanças climáticas e destruição do habitat que a maioria dos outros animais nesta lista.

Interessante

Isso revela porque você não pode levar os filmes de Hollywood muito a sério.
9 mitos estúpidos sobre o espaço que você precisa parar de acreditar

1. Nós explodimos no espaço

Como muitos dos mitos que se seguirão, essa ideia foi principalmente criada por Hollywood. Muitas vezes, os cineastas não estão realmente preocupados com os fatos. Eles prontamente tomam liberdades com a realidade, a fim de fazer uma cena parecer mais interessante. De filmes, sabemos que no instante em que um ser humano é exposto ao espaço sem uma roupa de proteção, ele é um caso perdido, que, muito provavelmente, vai explodir em um jorro de sangue e tripas (dependendo da classificação do filme).
A exposição no espaço definitivamente vai matá-lo, mas não de imediato, e não de uma maneira tão visceral. Um ser humano pode sobreviver exposto ao espaço por cerca de meio minuto sem nenhum dano permanente. Não vai ser agradável, mas não é uma morte instantânea. Você provavelmente iria morrer de asfixia por falta de oxigênio. Há um filme que retrata isso bem: 2001 – Uma Odisséia no Espaço.

2. Vênus e Terra são idênticos

Vênus é muitas vezes referido como o nosso irmão gêmeo, mas isso não deve dar-lhe a impressão de que é exatamente igual ao nosso planeta. Esta ideia surgiu principalmente quando não tínhamos ideia exatamente de como a superfície do planeta realmente era. Devido à sua atmosfera extremamente espessa, foi somente quando a NASA enviou uma nave espacial para Vênus que descobrimos o quão mortal a superfície do planeta é realmente.

3. O Sol é uma bola de fogo

O Sol é realmente brilhante, não de fogo. Isto pode parecer uma distinção insignificante para uma pessoa comum, mas o calor gerado pelo sol é realmente o resultado de uma reação nuclear, não um produto químico que causa a combustão.

4. O Sol é amarelo

Peça para qualquer pessoa desenhar um sol e ela vai imediatamente pegar o lápis amarelo. Parece o normal. Afinal, nós podemos ir lá fora e olhar para o sol e ele definitivamente parece ser amarelo.
No entanto, vemos o amarelo graças a nossa atmosfera. Se você já viu fotografias da NASA ou imagens semelhantes e o Sol era amarelo lá também, você pode realmente estar certo. Esta imagem que temos de um sol amarelo é tão comum que, por vezes, os astrônomos vão realmente modificar a cor de suas imagens, a fim de torná-las mais reconhecíveis. No entanto, a verdadeira cor do sol é branca. Se algum dia você encontrar com um astronauta ou alguém que foi para o espaço, não hesite em perguntar-lhe.
Independentemente disso, não precisamos ver o Sol para saber de que cor é porque nós podemos dizer a partir da temperatura. As estrelas frias começam com uma cor marrom / vermelho escuro e aumentam de intensidade à medida que ficam mais quentes. Com apenas alguns milhares de graus Kelvin na superfície, ela ficará vermelha. No extremo oposto do espectro, as estrelas mais quentes com uma temperatura de superfície acima de 10.000 Kelvin são azuis. Com uma temperatura de superfície de cerca de 6.000 Kelvin, o Sol está em algum lugar no meio, dando-lhe uma cor branca distinta.

5. A Terra está mais próxima do Sol no verão

À primeira vista, isso parece bastante lógico. No entanto, essa ideia é causada por um mal-entendido sobre o que realmente define as estações do ano. Não é a proximidade com o Sol, é a inclinação do nosso eixo orbital. O eixo sobre o qual o nosso planeta gira é na verdade inclinado para um lado. Quando esse eixo aponta para o Sol, é verão nesse hemisfério. Quando aponta para longe, é inverno.
O que não é um mito, no entanto, é a ideia de que a Terra está, por vezes, mais perto e às vezes mais longe do Sol. Nosso planeta tem uma órbita elíptica (como a maioria dos outros planetas). A distância determinada da Terra para o Sol (conhecida como uma unidade astronômica) é de aproximadamente 150 milhões de km. No entanto, no periélio (ponto mais próximo da Terra ao Sol), a distância diminui para 147 milhões de km, e no afélio (maior distância) sobe para 152 milhões de km. Então, como você pode ver, durante o curso de um ano, a distância entre a Terra e o Sol muda em até 5.000 mil quilômetros.

6. Há um lado escuro da Lua

A ideia de que a Lua tem um lado que é constantemente banhado em escuridão é falsa. A Lua está gravitacionalmente presa com a Terra, o que significa que o mesmo lado está sempre voltado para nós, não para o Sol. Todos os lados da Lua recebem a luz solar em vários pontos.

7. Som no espaço

Filmes raramente acertam o som no espaço. Eu acho que se você está gastando uma fortuna em filmar uma explosão ou uma morte dramática, você definitivamente quer que o público ouça. No entanto, o espaço significa nenhuma atmosfera, o que significa que não há nada para as ondas sonoras se propagarem. Se você ir para outro lugar com uma atmosfera, então haverá som, mas provavelmente vai ser um pouco estranho. Em Marte, por exemplo, o som será mais agudo.

8. Você não pode viajar através de um cinturão de asteróides

Isso todos nós sabemos de Star Wars. Han Solo nos mostrou que ele pilota uma Millennium Falcon através de um cinturão de asteróides mortal e passa para o outro lado, apesar de chances de sobrevivência quase zero. Isso é impressionante… exceto pelo fato de que você também provavelmente poderia fazer a mesma coisa (se você tivesse uma nave espacial útil).
Uma das principais coisas que os filmes são ruins em quando se trata de espaço é retratar com precisão o tamanho. E realmente não é culpa deles. Se eles fossem mostrar as coisas como elas realmente são, eles teriam que mostrar uma tela preta com um pontinho aqui e ali, que era para ser um planeta ou algo assim. A ideia aqui é que o espaço é grande. Muito, muito, muito grande. Mesmo se um cinturão de asteróides tem milhões e milhões de asteróides, você teria que ser a pessoa mais azarada do universo para bater em um. Não é impossível, mas as chances são astronômicas.

9. Você pode ver a Grande Muralha da China do espaço

A Muralha da China não pode ser vista do espaço a olho nu, ainda que o observador esteja na órbita mais baixa da Terra. Ela é muito estreita e foi construída com blocos de pedra cuja cor se assemelha à do solo. Astronautas como Gene Cernam, que viram a muralha lá do alto, precisaram de instrumentos ópticos para isso. 

16 de outubro de 2014

Exercícios de crase



Questões:

01. Assinale a alternativa em que o uso da crase é obrigatório:

a) Um rapazito de paletó entrou na rua e foi perguntar à Machona pela Nhá Rita. (Aluísio Azevedo)
b) José Cândido não tinha nem a cor nem o título convenientes à sua filha. (R. Braga)
c) Mas o peru se adiantava até à beira da mata. (G. Rosa)
d) Todos, às vezes, precisam ficar bêbados, e por isso bebem. (R. Braga)
e) (...) evitei acompanhar Dr. Siqueira em suas visitas vespertinas à nossa bem amada. (J. Amado)


02. Qual das alternativas completa corretamente os espaços vazios?

I. E entre o sono e o medo, ouviu como se fosse de verdade o apito de um trem igual ____ que ouvira em Limoeiro. (J. Lins do Rego)

II. Habituara-se ______ boa vida, tendo de um tudo, regalada. (J. Amado)

III. Depois do meu telegrama (lembram: o telegrama em que recusei duzentos mil-réis ___ (pirata), a "Gazeta" entrou a difamar-me. (G. Ramos)

IV. Os adultos são gente crescida que vive sempre dizendo pra gente fazer isso e não fazer _____.
(Millôr Fernandes)

a) àquele, aquela, aquele, aquilo
b) àquele, àquela, aquele, aquilo
c) àquele, àquela, aquele, àquilo
d) àquele, àquela, àquele, aquilo
e) aquele, àquela, aquele, aquilo


03. (CESCEM) Sentou-se ___ máquina e pôs-se ___ reescrever uma ___ uma as páginas do relatório.

a) a / a / à
b) a / à / à
c) à / a / a
d) à / à / à
e) à / à / a


04. (FASP) Assinale a alternativa com erro de crase:

a) Você já esteve em Roma? Eu irei à Roma logo.
b) Refiro-me à Roma antiga, na qual viveu César.
c) Fui à Lisboa de meus avós, pois gosto da Lisboa de meus avós.
d) Já não agrada ir a Brasília. A gasolina...
e) nenhuma das alternativas está errada.


05. (ESAN) Das frases abaixo, apenas uma está correta, quanto à crase. Assinale-a:

a) Devemos aliar a teoria à prática.
b) Daqui à duas semanas ele estará de volta.
c) Puseram-se à discutir em voz alta.
d) Dia à dia, a empresa foi crescendo.
e) Ele parecia entregue à tristes cogitações.


06. (ABC - MED.) Nas alternativas que seguem, há três frases, que podem estar corretas ou não. Leia-as atentamente e marque a resposta certa:

I.   O seu egoísmo só era comparável à sua feiúra.
II.  Não pôde entregar-se às suas ilusões.
III. Quem se vir em apuros, deve recorrer à justiça.

a) Apenas a frase I está correta.
b) Apenas a frase II está correta.
c) Apenas as frases I e II estão corretas.
d) Apenas as frases II e III estão corretas.
e) As três frases estão corretas.


07. (FUND. LUSÍADA) Assinale a alternativa que completa corretamente o período: ____ noite estava clara e os namorados foram _____ praia ver a chegada dos pescadores que voltavam ____ terra.

a) Á / à / à
b) A / à / à
c) A / a / à
d) À / a / à
e) A / à / a


08. (ITA) Analisando as sentenças:

I.   A vista disso, devemos tomar sérias medidas.
II.  Não fale tal coisa as outras.
III. Dia a dia a empresa foi crescendo.
IV. Não ligo aquilo que me disse.

 Podemos deduzir que:

a) Apenas a sentença III não tem crase.
b) As sentenças III e IV não têm crase.
c) Todas as sentenças têm crase.
d) Nenhuma sentença tem crase.
e) Apenas a sentença IV não tem crase.


09. (ABC - MED.) A alternativa em que o acento indicativo de crase não procede é:

a) Tais informações são iguais às que recebi ontem.
b) Perdi uma caneta semelhante à sua.
c) A construção da casa obedece às especificações da Prefeitura.
d) O remédio devia ser ingerido gota à gota, e não de uma só vez.
e) Não assistiu a essa operação, mas à de seu irmão.


10. (FUVEST) Indique a forma que não será utilizada para completar a frase seguinte:

 "Maria pediu ____ psicóloga que ____ ajudasse ____ resolver o problema que ___ muito ____ afligia."

a) preposição (a)
b) pronome pessoal feminino (a)
c) contração da preposição a e do artigo feminino a (à)
d) verbo haver indicando tempo (há)
e) artigo feminino (a)


Resolução:
01. D02. D03. C04. A
05. A06. E07. E08. A
09. D10. E