No inicio do blog

3 de dezembro de 2016

TEMA DE REDAÇÃO - REVENDO

Elabore sua redação considerando as ideias a seguir:
A questão não é opção religiosa, mas a liberdade de escolha. Qualquer pessoa pode acreditar no que quiser, contanto que deixe a outra livre para fazer o mesmo. Sem constrangimentos. E não é o que está acontecendo. Liberdade religiosa só existe quando não se mistura religião a nada. Nem à política, nem à educação, nem à ciência e nem ao esporte. [André Barcinski – Folha de São Paulo.]
 
A cada três dias, em média, uma denúncia de intolerância religiosa chega à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Entre 2011 e 2014, 504 queixas desse tipo foram relatadas à pasta pelo Disque 100 – canal de denúncias para violações dos direitos humanos, que são repassadas à polícia e ao Ministério Público. O governo federal reconhece que a intolerância religiosa, na prática, tende a ser maior do que aquela denunciada e que cenas como a da menina de 11 anos agredida na semana passada com uma pedrada na cabeça ao sair de um terreiro de candomblé na Vila da Penha, zona norte do Rio, estão longe de ser casos isolados. [Emílio Sant’anna -  Folha de São Paulo]
 
Intolerância religiosa é um termo que descreve a atitude mental caracterizada pela falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar diferenças ou crenças religiosas de terceiros. Pode-se constituir uma intolerância ideológica ou política, sendo que, ambas têm sido comuns através da história. A maioria dos grupos religiosos já passou por tal situação numa época ou noutra. Floresce devido à ausência de tolerância religiosa, liberdade de religião e pluralismo religioso.
Perseguição, neste contexto, pode referir-se a prisões ilegais, espancamentos, torturas, execução injustificada, negação de benefícios e de direitos e liberdades civis. Pode também implicar em confisco de bens e destruição de propriedades, ou incitamento ao ódio, entre outras coisas, que são atitudes de grande barbaridade. [Wikipedia] 
 
I - DA LIBERDADE DE RELIGIÃO. A Constituição Federal consagra como direito fundamental a liberdade de religião, prescrevendo que o Brasil é um país laico. Com essa afirmação queremos dizer que, consoante a vigente Constituição Federal, o Estado deve se preocupar em proporcionar a seus cidadãos um clima de perfeita compreensão religiosa, proscrevendo a intolerância e o fanatismo. Deve existir uma divisão muito acentuada entre o Estado e a Igreja (religiões em geral), não podendo existir nenhuma religião oficial, devendo, porém, o Estado prestar proteção e garantia ao livre exercício de todas as religiões. É oportuno que se esclareça que a confessionalidade ou a falta de confessionalidade estatal não é um índice apto a medir o estado de liberdade dos cidadãos de um país. A realidade nos mostra que tanto é possível a existência de um Estado confessional com liberdade religiosa plena (v.g., os Estados nórdicos europeus), como um Estado não confessional com clara hostilidade aos fatos religiosos, o que conduz a uma extrema precariedade da liberdade religiosa (como foi o caso da Segunda República Espanhola). [Iso Chaitz Scherkerkewitz - Procuradoria Geral do Estado de São Paulo]

REVENDO

No que se refere aos aspectos linguísticos e às ideias do texto acima, julgue os próximos itens.
Na linha 12, o pronome “se” poderia ser deslocado para imediatamente após a forma verbal “converteu”, escrevendo-se converteu-se, sem prejuízo da correção gramatical do texto.
  • C.Certo - CERTO, POIS NÃO HÁ PALAVRA ATRATIVA POR ALI, LOGO PRÓCLISE OU ÊNCLISE.
  • E.Errado

REVENDO E ESTUDANDO

Acerca das ideias desenvolvidas no texto acima e das estruturas linguísticas nele empregadas, julgue os itens de 7 a 12.
No trecho “nos teria afligido um projeto de educação totalitária” (l.25-26), o pronome “nos” poderia ser corretamente empregado imediatamente após a forma verbal “teria”, escrevendo-se teria-nos.
  • C.Certo
  • E.Errado - COMO HÁ UMA PONTUAÇÃO E TEMOS VERBO NO FUTURO DO PRETÉRITO, USAMOS UMA MESÓCLISE - TER-NOS-IA

REVENDO E ESTUDANDO

A substituição do elemento grifado pelo pronome correspondente foi realizada de modo INCORRETO em:
  • A.que permitiu à civilização = que lhe permitiu
  • B.envolveu diferentes fatores = envolveu-os
  • C.para fazer a dragagem = para fazê-la
  • D.que desviava a água = que lhe desviava - HÁ UM OBJETO DIRETO, LOGO, QUE A DESVIAVA.
  • E.supriam a necessidade = supriam-na

REVENDO E ESTUDANDO

No trecho “dissipam-se para latitudes mais baixas” (l.21), a partícula “se” tem função apassivadora.
  • C.Certo - ok, certo
  • E.Errado

TERCEIRÃO, REVENDO E ESTUDANDO

A forma verbal “Lidamos” (l.9) poderia ser corretamente substituída por Lida-se.
  • C.Certo
  • E.Errado
  • CERTO

1 de dezembro de 2016

ANÁLISE DO TEMA DE REDAÇÃO DE 2016 - REVENDO

Análise de Tema da Redação do Vestibular FUVEST 2016


No último dia 10 de janeiro  de 2016 começou a ser aplicada a 2ª fase do vestibular da Universidade de São Paulo (USP), promovido pela Fundação Universitária para o Vestibular (FUVEST) e a primeira prova foi de Língua Portuguesa, Literatura e Redação, cuja proposta teve como tema “As utopias: indispensáveis, inúteis ou nocivas?”.
No vestibular 2016, a FUVEST deixou um pouco de lado as questões sociais (embora elas possam ser relacionadas a esse tema) e abordou uma questão de cunho filosófico, causando surpresa em boa parte dos candidatos e dos professores de Português.
A coletânea da proposta apresentou seis textos que, por sua vez, contemplaram vários aspectos, positivos e negativos, das utopias. Tais opiniões deveriam ser lidas com muita atenção pelos candidatos, já que o comando do tema sugere três opções sobre as utopias: se elas são indispensáveis, inúteis ou nocivas. Dependendo do argumento principal, o candidato deveria selecionar determinados textos da coletânea.
Deste modo, é essencial que o candidato à FUVEST tomasse uma posição acerca das utopias e argumentasse a favor da sua opinião, deixando claro se pensa que as utopias são indispensáveis, inúteis ou nocivas e por quê.
primeiro texto da coletânea, um verbete, define o que é utopia e lembra que Thomas More publicou, há 500 anos, um livro intitulado Utopia (1516) no qual relata a vida em uma ilha fictícia chamada Utopia onde a propriedade privada e a intolerância religiosa foram eliminadas a fim de se viver em uma sociedade harmônica. O verbete também apresenta os sentidos positivo e negativo do termo: o primeiro diz respeito a um ideal político, social ou religioso que culmine em uma sociedade feliz; já o segundo sentido, o negativo, é relacionado a projetos e planos irreais, ou seja, fantasiosos.
segundo texto, adaptado do filósofo francês Paul Ricouer (1913 – 2005), afirma que a utopia nos afasta da nossa realidade e do fato de ela ser obrigatória e nos aproxima de outras realidades possíveis e, assim, destaca as potencialidades de um grupo que está inserido na ordem vigente.
fuvest
terceiro texto, adaptado de Karl Mannheim, sociólogo judeu (1893 – 1947), afirma que o desaparecimento da utopia faria com que a humanidade se deparasse com nenhum ideal e, assim, seria transformada em uma coisa, um mero produto do impulso. Segundo o autor, o homem sem utopia perderia a vontade de construir e de compreender a história.
quarto texto, adaptado do filósofo francês contemporâneo André Comte – Sponville, argumenta que é possível e melhor vivermos sem utopias, pois elas são ineficazes, pois são apenas sonhos, e perigosas quando queremos realizá-las.
quinto texto da coletânea, por sua vez, é um poema do autor brasileiro Carlos Drummond de Andrade (1902 – 1987) no qual o poeta faz um convite ao leitor: viver em um mundo utópico, mas possível, onde as pátrias não têm fronteiras, onde não há leis, igrejas, quartéis, dor, ouro e tantas outras coisas nocivas à harmonia. O candidato, neste momento, poderia ter se lembrado da canção Imagine, de Jonh Lennon (1940 – 1980), ex-integrante dos Beatles, na qual o músico inglês canta um mundo sem países, sem guerras, sem religiões e ainda conversa com o ouvinte, dizendo que podem chamá-lo de sonhador, mas que ele é apenas mais uma pessoa que espera um mundo no qual vivamos como um só.
Finalmente, o sexto e último texto da coletânea é também uma adaptação oriunda de Frédéric Rouvillois, professor francês, que traz a definição fundadora da palavra utopia e a relaciona com o já mencionado livro de Thomas More: a busca por uma sociedade perfeita e ideal, um verdadeiro paraíso pacífico no qual não há diferenças entre os homens e, portanto, uma sociedade livre de conflitos. Porém, o autor ressalta que, olhando por outro ângulo, essas condições seriam autoritárias e até genocidas a fim de alcançar essa perfeição por meio de instrumentos terríveis como a violência.
Este último texto pode ser relacionado, pelos candidatos que prestam vestibulares há muito tempo, para cursos concorridos como Medicina, ou pelos candidatos que tiveram contato com uma das propostas de vestibular da Unicamp 2013 com o texto da revista Superinteressante que aborda o lado bom do pessimismo.
Neste texto em específico, várias opiniões positivas acerca do pessimismo são apresentadas ao leitor, inclusive a do filósofo britânico Roger Scruton acerca do “otimismo inescrupuloso”, ou seja, “aquelas utopias que levam populações inteiras a aceitar falácias e resistir à razão”. Para ele, um exemplo desse otimismo exacerbado foi a ascensão do regime nazista que culminou na 2ª Guerra Mundial.
O candidato que pensa que as utopias são indispensáveis poderia argumentar que elas expressam a necessidade de lutarmos contra a nossa realidade a fim de construirmos uma nova e melhor realidade. Já aquele que as considera inúteis deveria afirmar que elas são inúteis, pois não passam de meras fantasias e sonhos, não passando de ilusões. Por fim, o candidato que opinou que as utopias são nocivas poderia destacar seus perigos ao se tentar atingir a perfeição por meio da violência e de ferramentas abusivas.
Consideramos o tema da proposta de redação do vestibular 2016 da FUVEST inovador e desafiador, já que trata-se de algo complexo e profundo.

Redação no Enem: O Que o Tema da Proposta Nos Diz?


No início da tarde desta quinta-feira (1º de dezembro), o Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) comunicou que recebeu relatório da Polícia Federal – PF – que constata que houve vazamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2016).
De acordo com informações do MPF-CE, a conclusão da Polícia sobre o inquérito é que pelo menos dois candidatos receberam, antecipadamente, os gabaritos do exame, além do tema da proposta de redação. O Ministério Público inclusive reproduziu o trecho do texto da PF que expressa “convicção de que houve crime de estelionato qualificado”.
No segundo dia do exame, domingo (06), participantes nos estados do Ceará e Amapá foram flagrados com o tema da redação, um deles inclusive com o texto pronto numa folha de papel no bolso. Esses mesmos candidato também receberam o gabarito das provas e por mensagem no celular e usavam ponto eletrônico.
Na oportunidade o MFP-CE pediu a anulação das notas da redação do Enem. A solicitação foi negada por liminar e o Ministério Público, por meio do procurador da República Oscar Costa Filho, já recorreu. Ele inclusive adiantou que a íntegra do relatório e peças do inquérito serão anexadas ao recurso do MPF que tramita no Tribunal Regional Federal da 5ª Região.
Além dos gabaritos das provas e do tema da redação, as investigações da PF também apontam que participantes tiveram acesso a frase código da prova rosa – “Minha paixão pesa como pedra”, que identifica de fato a cor do caderno, permitindo que os candidatos fraudulentos pudessem preencher o cartão de respostas de acordo com o gabarito transmitido pela quadrilha, independente da cor de sua prova.
De acordo com declaração de Costa Filho, o vazamento compromete o princípio de igualdade que deve ser garantido pelo Enem a todos os candidatos:
Uma quadrilha organizada nacionalmente teve acesso antecipado às provas. Isso compromete a lisura do exame e a própria credibilidade da logística de segurança que vem sendo aplicada.



Em um momento de avaliação, na qual o candidato está diante de uma prova de redação, é natural que ele esteja ansioso, nervoso e com medo de não conseguir administrar bem o tempo disponível. Apesar disso, como já dissemos nesta coluna, é esperado que ele dê conta de analisar adequadamente, com certa calma, a proposta de produção de texto e o primeiro passo para isso ser realizado de maneira eficaz é a análise correta do tema da redação.
A maneira como o tema da proposta está escrito diz muito ao candidato, principalmente no que diz respeito ao objetivo da banca elaboradora. No caso do Enem, por exemplo, os temas das últimas edições têm sido escritos em forma de afirmações: “A publicidade infantil em questão no Brasil”, “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” e “Os caminhos para se combater a intolerância religiosa no Brasil” são afirmações que deveriam ter sido desenvolvidas pelos candidatos; além deste entendimento, o conhecimento do vocabulário é fundamental a fim de compreender adequadamente o tema da redação.
A publicidade infantil em questão no Brasil” refere-se à discussão em torno da publicidade voltada para o público infantil brasileiro; já “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” afirma que esse tipo de violência é persistente no nosso país apesar das inovações na lei, como a lei Maria da Penha, por exemplo e “Os caminhos para se combater a intolerância religiosa no Brasil” diz respeito às propostas de solução para a questão da intolerância religiosa no Brasil.
Diante destes exemplos, podemos concluir que os candidatos que negaram tais afirmações, argumentando, por exemplo, que a violência contra a mulher é um exagero ou que não há intolerância religiosa no país fugiram do tema, já que escreveram um texto totalmente contrário do que afirmava os respectivos temas. Além disso, os candidatos que não os contextualizaram na situação social, histórica e política brasileira, no mínimo, tangenciaram, já que em todos os temas dados a contextualização no cenário brasileiro é explícita.
Além de ser uma afirmação, o tema de uma proposta de redação pode ser escrito no formato de uma pergunta. Como exemplo, podemos citar o tema da produção de texto da Fuvest 2016: “As utopias: indispensáveis, inúteis ou nocivas?”. Neste caso, o candidato deve assumir uma posição e escolher se argumentará a favor de as utopias serem indispensáveis, inúteis ou nocivas ou, ainda, as três coisas ou duas coisas ao mesmo tempo, dependendo do nível (individual/social), de acordo com a coletânea de textos.
Ou seja, quando o tema da proposta de redação constituir uma pergunta, o candidato deve respondê-la ao longo do texto, sem ficar em cima do muro, digamos assim, até porque neutralidade não existe e uma dissertação-argumentativa pede uma postura firme em relação à tese defendida.
Por fim, o modo como o tema da redação está escrito – em forma de afirmação ou de pergunta – e o vocabulário escolhido pela banca elaborada para criar este tema diz muito sobre a prova de produção de texto para os candidatos e para os professores de Língua Portuguesa. Nos cabe ficar atentos a isso, a fim de dar o primeiro passo na compreensão da proposta como um todo.

27 de novembro de 2016

FIGURA DE LINGUAGEM


A infância de muita gente foi povoada de barulhos por escrito, nos gibis, tirinhas, cartuns e até na TV. Um seriado antigo das aventuras de Batman e Robin ilustrava as brigas entre os heróis e os vilões com imagens coloridas dos sons dos socos e golpes:
onomatopeia1
O Tio Patinhas se deliciava mergulhando na sua caixa-forte, ouvindo o tilintar das moedas:
onomatopeia2
Mas não é só a cultura ‘pop’ que lança mão desse recurso. Encontramos onomatopeias também na Literatura:
(…)Troc… troc… troc… troc…
  ligeirinhos, ligeirinhos…
  troc… troc… troc…
  vão cantando os tamanquinhos
  Madrugada. Troc… troc… troc…
  pelas portas dos vizinhos
  vão batendo, troc… troc…
  vão cantando os tamanquinhos… (…)”
(A canção dos tamanquinhos, Cecília Meireles)
(…) Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r-r eterno!  
Forte espasmo retido dos maquinismos em fúria!  
Em fúria fora e dentro de mim,  
Por todos os meus nervos dissecados fora,  
Por todas as papilas fora de tudo com que eu sinto!  (…)”
(Ode triunfal, Fernando Pessoa)
(…) Sino de Belém, pelos que ainda vêm!
Sino de Belém, bate bem-bem-bem.
Sino da paixão, pelos que ainda vão!
Sino da paixão, bate bão-bão-bão.
Sino do Bonfim, por que chora assim?(…)”
(Os sinos, Manuel Bandeira)
A abelha-mestra
E as abelhinhas
Estão todas prontinhas
Para ir para a festa
Num zune que zune 
Lá vão pro jardim (…)”
(As abelhas, Vinícius de Moraes)
Nos textos acima podemos observar que há situações em que as sequências de letras apenas funcionam como a representação de um determinado som – essa é a FIGURA DE LINGUAGEM denominada onomatopeia.
No entanto, ocorrem também alguns casos em que, a partir da representação dos sons, criam-se palavras, que figuram nos dicionários, como verbos ou substantivos, as quais podem ser flexionadas. Estamos, então, diante de um PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PALAVRAS denominado onomatopeia, que dará origem a palavras onomatopaicas.
É o caso do verbo tilintar, das HQs do Tio Patinhas, e do verbo zunir, no poema de Vinicius de Moraes e na tirinha do Fernando Gonsales, que serviu de base para uma questão da Unicamp da semana passada:
onomatopeia4
O barulho produzido pelo bater das asas das abelhas deu origem ao verbo zunir, que, no poema, foi empregado para se referir ao movimento frenético desses insetos, que não param um minuto, sempre de flor em flor recolhendo pólen, e, na tirinha, foi empregado criativamente para fazer uma relação intertextual com o “Manifesto Comunista”, de Marx e Engels. (Em tempo: o cartunista errou a acentuação, pois oxítonas terminadas em ‘i’ não são acentuadas…)
Assim, onomatopeia pode denominar tanto a figura de linguagem, na Estilística, como o processo de formação de palavras, na Gramática.

TERCEIRÃO REVISANDO

1. Com referência à regência do verbo assistir, todas as alternativas estão corretas, exceto:
a) Assistimos ontem a um belo filme na televisão.
b) Os médicos assistiram os feridos durante a guerra.
c) O técnico assistiu os jogadores no treino.
d) Assistiremos amanhã a uma missa de 7º dia.
e) Assisti com muita atenção
2. Em: __________ filme você assistirá à noite? ___________ você aspira na vida? ___________ o candidato pretende chegar? Qual a alternativa que melhor preencheria as lacunas?
a) que, a que, de que
b) que, de que, que
c) A que, a que, a que
d) de que, que, que
e) que, que, de que
3. Todas as palavras estão corretamente grafadas na frase:
(A) Orçados os custos gerais da campanha, impuzeram-se ríjidas restrições às despesas atinentes à publicidade.
(B) A obtenção de recursos extras constitui a meta prioritária, no momento; não há outro jeito de implementar este plano.
(C) Seu modo de agir lembra-me os tregeitos dos ilusionistas: os movimentos dispersivos discimulam o gesto essencial.
(D) O Ivo, sempre incalto, serviu à causa do adversário; faltou-lhe a acessoria de um correlegionário mais experiente.
(E) As pessoas impúdicas vêem como natural a exposição das crianças às torpesas dos famigerados “programas populares”.
4. A contemporaneidade das idéias não implica rejeição sumária do que já foi ajuisado no passado, pelo contrário: requer a izenção de julgamento que coíbe os preconceitos e permite analisar com descortínio as teorias de nossos antecessores. É preciso corrigir a grafia de TODAS as palavras, tiradas do período acima, que são:
(A) rejeição – ajuisado – analisar
(B) contemporaneidade – coíbe – descortínio
(C) ajuisado – izenção – descortínio
(D) rejeição – coíbe – antecessores
(E) contemporaneidade – izenção – analisar
5. A flexão de todos os verbos está correta na frase:
(A) Caso não ajam a tempo, pediremos que seja estendido o prazo de apresentação de seus documentos.
(B) Assim que reavermos nossas malas, remarcaremos as passagens.
(C) Os portões que se vêm nos casarões antigos detêm nosso olhar, tantos são os detalhes que neles surpreendemos.
(D) Quando eles reverem o caso, haverão de chegar a novas conclusões.
(E) Os policiais que os deteram, na manhã de ontem, há muito vêm agindo de modo arbitrário.
6. A frase inteiramente correta quanto à concordância verbal é:
(A) Por que se permite as cenas de violência, de que estão recheadas a televisão brasileira?
(B) As pessoas que se vem mostrando satisfeitas com o país são as beneficiárias das medidas que se veio implantando.
(C) Se qualquer um de nós lhes emprestássemos apoio, mereceriam o repúdio de toda a população.
(D) Por mais que os espantem a surpresa dos novos fatos, ainda não lhes falta a capacidade das iniciativas.
(E) Será que ainda é possível prever as manobras do governo, neste cenário econômico que se caracteriza por tantas incógnitas?
7. Bastam de provocações! – foi o grito que puderam ouvir os que se achavam próximos do presidente da Assembléia, quando já faziam dez minutos que nenhum dos parlamentares da oposição conseguia ir além da primeira frase, no momento de se encaminhar as votações. Em respeito às normas de concordância verbal, é preciso corrigir as seguintes formas do texto acima.
(A) bastam e faziam.
(B) bastam e encaminhar.
(C) conseguia e encaminhar.
(D) fazia e conseguia.
(E) fazia e encaminhar.
8. Qual o item em que a circunstância indicada nos parênteses esteja INCORRETA, tendo em vista a ORAÇÃO DESTACADA?
a) Desde que ele me procurou, não consigo mais estudar. (tempo)
b) Cada um colhe segundo semeia. (conformidade)
c) Embora estivessem verdes, comprei as maçãs. (condição)
d) Como hoje é dia santo, rezemos. (causa)
9. Está correto o emprego da expressão sublinhada na frase:
(A) É um velho experiente, a cuja memória todos recorrem.
(B) São grosseiros os erros aos quais ele vem incorrendo.
(C) Eis as terras a cujas o rio vem poluindo.
(D) Desconfio dos dados de que foram coligidos nesta pesquisa.
(E) O cargo em cujo ele seria empossado continuará vago.
10. Assinale a alternativa em que ambos os vocábulos estejam GRAFADOS CORRETAMENTE.
a) lagartixa / estrupo
b) pretensioso / obsessão
c) freada / obceno
d) beringela  / meretíssimo
11…… ela aparente ser uma pessoa dócil, não a provoque, …… a ovelhinha não se transforme numa tigresa. A frase anterior ganha sentido completo e lógico preenchendo-se suas lacunas, respectivamente, com as expressões:
(A) Desde que – a fim de que
(B) Muito embora – desde que
(C) Dado que – muito embora
(D) Ainda que – para que
(E) Mesmo que – em vista do que
12 O período inteiramente correto quanto à pontuação é:
(A) Deixe-me perguntar-lhe, e não o quero ofender se não poderia saldar, ao menos algumas das dívidas, que ainda permanecem pendentes?
(B) Deixe-me perguntar-lhe (e não o quero ofender) se não poderia saldar ao menos, algumas das dívidas que ainda permanecem pendentes?
(C) Deixe-me perguntar-lhe, e não o quero ofender: se não poderia saldar ao menos algumas das dívidas, que ainda permanecem pendentes.
(D) Deixe-me perguntar-lhe (e não o quero ofender), se não poderia saldar ao menos algumas das dívidas que ainda permanecem pendentes.
(E) Deixe-me perguntar-lhe e não o quero ofender se não poderia saldar ao menos algumas das dívidas que ainda permanecem pendentes.
13 Marque a opção em que o significado da palavra sublinhada esteja INCORRETAMENTE indicada nos parênteses.
a) coser (costurar)
b) cerrar (fechar)
c) infligir (transgredir)
d) mandado (ordem judicial)
14Assinale a oração correta, de acordo com a norma culta da língua.
(A) Na prova houve muitas falhas.
(B) Na prova houveram muitas falhas.
(C) Teve muitas falhas na prova.
(D) Existiu muitas falhas na prova.
15Indique a oração na qual o emprego da vírgula é inadequado.
(A) O professor, com bons argumentos, dirimiu as dúvidas.
(B) Todos os candidatos inscritos, erraram a questão.
(C) Inexistem, portanto, quaisquer dúvidas.
(D) Por todo o exposto, e o mais que dos autos consta, julgo procedente a ação.
16Aposto é a palavra:
(A) que se opõe ao sentido lógico da oração.
(B) com sentido dúbio.
(C) ou expressão que explica ou resume outro termo da oração.
(D) que muda o sentido da oração.
17A frase inteiramente correta quanto à ortografia é:
(A) A ata da sessão extraordinária apresenta deslises, poucos, é certo, mas que exigem pronta retificação.
(B) Sempre obsequioso, o assessor incumbiu-se de externar ao Governador nossa dissenção quanto à política energética.
(C) Os expedientes utilizados pela oposição deixaram exasperados os ânimos, em vista de seu caráter tão-somente protelatório.
(D) Tais despesas talvez sejam excessivamente onerosas a um orçamento já expoliado pela má fé dos antecessores.
(E) É sempre penoso discriminar a minoria, mas a falta de concenso implica, é claro, óbices à plena satisfação.
18Marque a opção em que o uso do acento grave, indicador de CRASE, esteja INCORRETO.
a) A reportagem é igual à que foi publicada ontem.
b) Obedeço à qualquer sinalização de trânsito.
c) Fomos à  casa de minha sogra pela manhã.
d) Comunicamos o fato às alunas rapidamente.
.
19 Conforme a norma culta, a colocação do pronome oblíquo átono está ADEQUADAem:
a) Quanto nos iludimos com seus amigos!
b) Já criticou-me muito por agir assim.
c) Todos recusaram-se a comentar o fato.
d) Aqui trabalha-se com mais afinco.
20 O pronome oblíquo átono está colocado INCORRETAMENTE em:
a) Só agora nos deram as coordenadas.
b) Quem me chamou mais cedo?
c) Haviam encaminhado-me suas sugestões.
d) Quanto nos valeram seus comentários!
1c, 2c, 3b, 4c, 5a, 6e, 7b, 8c,
9a, 10b, 11d, 12c, 13c, 14a, 15b, 16c, 17c, 18B, 19A, 20c

TERCEIRÃO, REVISANDO

QUESTÕES
1 Quanto à concordância nominal, preencha as lacunas das frases:
(I) Era talvez meio-dia e …………………..quando fora preso.
(II) Decepção é …………………………para fortalecer o sentimento patriótico.
(III) Apesar da superpopulação do alojamento, havia acomodações………………………..para os homens.
(IV) Os documentos dos candidatos seguiram………………………. às fichas de inscrição.
(V) As fisionomias dos homens eram as mais desoladas …………………………..naquele cortejo.
a) meia – bom – bastantes – anexos – possíveis
b) meio – bom – bastantes – anexo – possívei
c) meia – boa – bastante – anexo – possível]
d) meio – boa – bastante – anexos – possível
e) meia – bom – bastantes – anexo – possível
2 (PUC) Assinale a seqüência que completa estes períodos:
  1. Ela _________ disse que não iria.
  2. Vão ________ os livros.
III. A moça estava _________ aborrecida.
  1. É _________ muita atenção para atravessar a rua.
  2. Nesta aula, estudam a terceira e a quarta ____ do primeiro grau.
a) mesmo anexos meia   necessário   série.
b) mesma anexos – meio necessária   séries.
c) mesmo – anexo – meio necessário séries.
d) mesma anexos – meio necessário   séries.
e) mesma – anexos – meia necessário séries.
3 UFSM) Considerando a concordância nominal, assinale a frase correta:
a) Ela mesmo confirmou a realização do encontro.
b) Foi muito criticado pelos jornais a reedição da obra.
c) Ela ficou meia preocupada com a notícia.
d) Muito obrigada, querido, falou me emocionada.
e) Anexo, remeto lhes nossas últimas fotografias.
4(CESGRANRIO) Há concordância nominal inadequada em:
a) clima e terras desconhecidas;
b) clima e terra desconhecidos;
c) terras e clima desconhecidas;
d) terras e clima desconhecido;
e) terras e clima desconhecido
Assinale a frase imperfeita quanto à concordância nominal.
a) O artista andava por longes terras
b) Realizava uma tarefa monstro
c) Os garotos eram tal qual o avô.
d) Aquela é a todo-poderosa.
6 (BANCO DO BRASIL) – Na ordem, preenchem corretamente as lacunas:
  1. Justiça entre os homens é …
  2. É … a entrada de pessoas estranhas.
  3. A água gelada sempre é …
  • a) necessário, proibida, gostosa.
  • b) necessária, proibida, gostoso.
  • c) necessário, proibida, gostoso.
  • d) necessária, proibido, gostoso.
  • e) necessário, proibido, gostosa.
7 Complete convenientemente com as palavras entre parênteses:
a- Essa bebida é __________. (bom)
b- Pimenta é __________ para tempero. (bom)
c- A entrada é _________. (proibido)
d- Entrada é __________. (proibido)
e- É meio-dia e __________. (meio)
8 (FATEC) “É ………… discussão entre homens e mulheres ………… ao mesmo ideal, pois já se disse ………… vezes que da discussão, ainda que ………… acalorada, nasce a luz.”
  • a) bom voltados bastantes meio
  • b) bom voltadas bastante meia
  • c) boa voltadas bastantes meio
  • d) boa voltados bastante meia
9 CESPE – Centro de Seleção e de Promoção de Eventos – 2009
Ainda ____furiosa, mas com____ violência, proferia injúrias____ para escandalizar.
  • a) meia – menas – bastantes
  • b) meia – menos – bastante
  • c) meio – menos – bastante
  • d) meio – menos – bastantes
  • e) meio – menas – bastantes
10 Prova: VUNESP – 2014 – Fundacentro – Assistente
Assinale a alternativa correta quanto à concordância nominal, segundo a norma-padrão.
  • a) Os gritos de dona Irene ecoaram alto e deixaram as pessoas atentas
  • b) Com o acontecido, dona Irene voltou para casa meia amedrontada
  • c) Devido à violência, há menas pessoas andando nas ruas
  • d) Dona Irene deu bastante gritos para chamar a atenção das pessoas
  • e) Os ladrões, meio assustado, podem fazer coisas inimagináveis
11 Indique a alternativa que não apresenta erro de concordância nominal
  • a) O acontecimento derrubou a bolsa brasileira, argentina e a espanhola.
  • b) Naquele lugar ainda vivia uma pseuda-aristocracia.
  • c) Depois de tudo o que ela me fez acho que ficamos quite.
  • d) Como não tinham outra companhia, os irmãos viajaram só.
  • e) Simpáticos malabaristas e dançarinos animavam a festa.
12 Marque a alternativa cuja sequência preencha adequadamente as lacunas do seguinte período:
“Nós …………………. socorremos o rapaz e a moça …………., ……………
a)mesmos – bastante – machucados
b) mesmo – bastantes – machucados
c) mesmos – bastantes – machucados
d) mesmo – bastante – machucada.
e) mesmos – bastantes – machucada
13 Os cientistas encontraram ….. meios e fórmulas para realizar a experiência.
  1. a) novo
  2. b) nova
  3. c) novos
  4. d) novas
14 -“Ela ……. tomou conta do caixa”. “(…) a melancolia da paisagem está em nós …….
(M. de Assis).
  • a) mesmo – mesmas
  • b) mesmo – mesmos
  • c) mesma – mesma
  • d) mesma – mesmos
  • e) mesmo – mesmos
15 Entrada é ……………, mas a permanência é ………….
  • a) permitida – proibida
  • b) permitido – proibido
  • c) permitida – proibido
  • d) permitido – proibido
  • e) permitido – proibida
16 – Aponte a alternativa em que a concordância está incorreta
  • a) Seguem anexas as fotos solicitadas.
  • b) As cartas seguirão em anexas.
  • c) As cartas seguirão em anexo.
  • d) Todos estavam presentes, menos as pessoas que deviam estar.
  • e) Vinha com bolsos e mãos cheios de dinheiro
.
17 -Em que casos a forma entre parênteses deve ficar no singular?
  • a) (Bastante) alunos vieram à aula..
  • b) Seguem (anexo) os comprovantes solicitados.
  • c) Eles (mesmo) admitiram que tudo não passou de farsa.
  • d) Eles vestiam calças (cinza).
  • e) Os brinquedos de madeira custam mais (barato).
18 Assinale a frase que contraria a norma culta quanto à concordância nominal.
  • a) Falou bastantes verdades.
  • b) Já estou quites com o colégio.
  • c) Nós continuávamos alerta.
  • d) Haverá menos dificuldades na prova.
19  (TFC) Assinale a opção em que não há erro.
  • a) Seguem anexo os formulários pedidos.
  • b) Não vou comprar esta camisa. Ela está muito caro.
  • c) Estas questões são bastantes difíceis.
  • d) Eu lhes peço que as deixem sós.
  • e) Estando pronto os preparativos para o início da corrida, foi dada alargada.
20 ) Aponte o erro de concordância.
  • a) Vi homem e mulher animados.
  • b) Era uma pseuda-esfera.
  • c) Encontramos rio e lagoa suja.
  • d) Regina ficou a sós.
1 a
2 d
3 d
4 c
5 c
6 a
7 boa, bom, proibida, proibido, meia.
8 a
9 d
10 a
11 e
12 a
13 c
14 d
15 e
16 b
17 d
18 b
19 d
20 d