No inicio do blog

1 de dezembro de 2016

Redação no Enem: O Que o Tema da Proposta Nos Diz?


No início da tarde desta quinta-feira (1º de dezembro), o Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) comunicou que recebeu relatório da Polícia Federal – PF – que constata que houve vazamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2016).
De acordo com informações do MPF-CE, a conclusão da Polícia sobre o inquérito é que pelo menos dois candidatos receberam, antecipadamente, os gabaritos do exame, além do tema da proposta de redação. O Ministério Público inclusive reproduziu o trecho do texto da PF que expressa “convicção de que houve crime de estelionato qualificado”.
No segundo dia do exame, domingo (06), participantes nos estados do Ceará e Amapá foram flagrados com o tema da redação, um deles inclusive com o texto pronto numa folha de papel no bolso. Esses mesmos candidato também receberam o gabarito das provas e por mensagem no celular e usavam ponto eletrônico.
Na oportunidade o MFP-CE pediu a anulação das notas da redação do Enem. A solicitação foi negada por liminar e o Ministério Público, por meio do procurador da República Oscar Costa Filho, já recorreu. Ele inclusive adiantou que a íntegra do relatório e peças do inquérito serão anexadas ao recurso do MPF que tramita no Tribunal Regional Federal da 5ª Região.
Além dos gabaritos das provas e do tema da redação, as investigações da PF também apontam que participantes tiveram acesso a frase código da prova rosa – “Minha paixão pesa como pedra”, que identifica de fato a cor do caderno, permitindo que os candidatos fraudulentos pudessem preencher o cartão de respostas de acordo com o gabarito transmitido pela quadrilha, independente da cor de sua prova.
De acordo com declaração de Costa Filho, o vazamento compromete o princípio de igualdade que deve ser garantido pelo Enem a todos os candidatos:
Uma quadrilha organizada nacionalmente teve acesso antecipado às provas. Isso compromete a lisura do exame e a própria credibilidade da logística de segurança que vem sendo aplicada.



Em um momento de avaliação, na qual o candidato está diante de uma prova de redação, é natural que ele esteja ansioso, nervoso e com medo de não conseguir administrar bem o tempo disponível. Apesar disso, como já dissemos nesta coluna, é esperado que ele dê conta de analisar adequadamente, com certa calma, a proposta de produção de texto e o primeiro passo para isso ser realizado de maneira eficaz é a análise correta do tema da redação.
A maneira como o tema da proposta está escrito diz muito ao candidato, principalmente no que diz respeito ao objetivo da banca elaboradora. No caso do Enem, por exemplo, os temas das últimas edições têm sido escritos em forma de afirmações: “A publicidade infantil em questão no Brasil”, “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” e “Os caminhos para se combater a intolerância religiosa no Brasil” são afirmações que deveriam ter sido desenvolvidas pelos candidatos; além deste entendimento, o conhecimento do vocabulário é fundamental a fim de compreender adequadamente o tema da redação.
A publicidade infantil em questão no Brasil” refere-se à discussão em torno da publicidade voltada para o público infantil brasileiro; já “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” afirma que esse tipo de violência é persistente no nosso país apesar das inovações na lei, como a lei Maria da Penha, por exemplo e “Os caminhos para se combater a intolerância religiosa no Brasil” diz respeito às propostas de solução para a questão da intolerância religiosa no Brasil.
Diante destes exemplos, podemos concluir que os candidatos que negaram tais afirmações, argumentando, por exemplo, que a violência contra a mulher é um exagero ou que não há intolerância religiosa no país fugiram do tema, já que escreveram um texto totalmente contrário do que afirmava os respectivos temas. Além disso, os candidatos que não os contextualizaram na situação social, histórica e política brasileira, no mínimo, tangenciaram, já que em todos os temas dados a contextualização no cenário brasileiro é explícita.
Além de ser uma afirmação, o tema de uma proposta de redação pode ser escrito no formato de uma pergunta. Como exemplo, podemos citar o tema da produção de texto da Fuvest 2016: “As utopias: indispensáveis, inúteis ou nocivas?”. Neste caso, o candidato deve assumir uma posição e escolher se argumentará a favor de as utopias serem indispensáveis, inúteis ou nocivas ou, ainda, as três coisas ou duas coisas ao mesmo tempo, dependendo do nível (individual/social), de acordo com a coletânea de textos.
Ou seja, quando o tema da proposta de redação constituir uma pergunta, o candidato deve respondê-la ao longo do texto, sem ficar em cima do muro, digamos assim, até porque neutralidade não existe e uma dissertação-argumentativa pede uma postura firme em relação à tese defendida.
Por fim, o modo como o tema da redação está escrito – em forma de afirmação ou de pergunta – e o vocabulário escolhido pela banca elaborada para criar este tema diz muito sobre a prova de produção de texto para os candidatos e para os professores de Língua Portuguesa. Nos cabe ficar atentos a isso, a fim de dar o primeiro passo na compreensão da proposta como um todo.
Postar um comentário