NO INICIO DO BLOG

27 de maio de 2014

Redação é leitura


Redação é leitura:
quer você goste ou não, 
é necessário praticar as duas coisas
tanto quanto você puder.



Como se costuma dizer popularmente, "uma coisa puxa a outra". O exercício constante de leitura - de jornais, revistas, livros, enfim de tudo que você puder ler - é extremamente importante para adquirir e manter sua capacidade de produzir uma boa redação. Além disso, é preciso lembrar que "uma boa redação" já não é mais suficiente para garantir sucesso na vida: é preciso chegar ao melhor nível possível e procurar melhorar sempre. A razão disto é bem simples: num concurso público, no vestibular e em qualquer tipo de processo seletivo, obtém mais pontos quem tem o melhor nível de redação além de responder corretamente o maior número de questões.
Porém, para conseguir melhorar seu nível de redação, ler muito é muito importante, mas não basta. Também é preciso escrever muito. Isto é algo que você deve fazer o máximo possível nas suas horas vagas. Se possível, todos os dias. Entretanto, evite usar o computador. A melhor forma de você se habituar à ortografia - isto é, à forma correta de escrever as palavras - é escrevendo-as sobre papel, usando lápis ou canetas.

Preferentemente, use um lápis. Claro que você precisará também de uma borracha. Sim, porque ao concluir sua redação, você mesmo deve lê-la totalmente para verificar possíveis erros, se repetiu a mesma palavra muitas vezes sem necessidade. Se ocorreram essas coisas, retire as palavras nos locais em que isto ocorreu e reescreva na forma que você considerar correta ou mais explícita. Na língua portuguesa existem várias palavras como mesmo significado e muitas formas formas diferentes de se dizer corretamente a mesma coisa. Portanto, use essa condição. Se precisar, pode até ter um bom dicionário por perto para consultá-lo e verificar as palavras mais adequadas que você queira usar. Entretanto, tenha o cuidado de evitar que isso se torne um hábito: num vestibular, num concurso público e em muitas outras situações ao longo da vida, você terá que fazer suas redações sem poder consultar dicionários, gramáticas ou qualquer outra coisa. Sendo assim, procure conhecer o mais profundamente possível todas as palavras que puder e as formas mais adequadas de empregá-las. Acha que isso é difícil? Saiba que não é, e que  basta estudar um pouco de gramática todos os dias, com o cuidado de priorizar apenas os temas em que você encontra mais dificuldade.
A ajuda da família para que você melhore seu nível de redação é fundamental. Portanto, peça a outras pessoas da família para ler sua redação. Não diga  o que você quis dizer no seu texto. Pergunte  depois . Se  disserem como entenderam  e esse entendimento não estiver de acordo com o que você pensou ao escrever, pode significar duas coisas: essas pessoas têm dificuldades em interpretação de texto ou você tem dificuldade para se expressar claramente por escrito. De qualquer forma, isso significa, com certeza, que tanto essas pessoas precisam habituar-se a ler mais como você precisa habituar-se a ler e escrever mais.
Evite escrever sobre os assuntos que você mais gosta. Escrever sobre o que você gosta não é proibido nem tem algo errado nisto. Porém, na maioria das ocasiões (novamente como exemplos o vestibular e o concurso público), o objetivo da redação não é escrever sobre o que você gosta, mas verificar se você está bem informado sobre as coisas importantes que acontecem no mundo - política, economia, fatos sociais. Por isso, você só poderá adquirir condições de produzir boas redações se tiver o saudável hábito de, mesmo que não goste, assistir diariamente (mesmo à noite) noticiários da TV, ouvir noticiários do rádio, ler jornais o máximo que puder, e estar atento a todos os assuntos, mesmo aqueles dos quais você não gosta. Na vida, leva mais vantagens quem estiver melhor informado sobre tudo
.
Postar um comentário