NO INICIO DO BLOG

5 de agosto de 2014

De olho no vestibular da UFRGS

Interpretação de texto é destaque nas provas da UFRGS e no Enem

Rainha em português, ela também é cobrada em língua estrangeira. Para domar a interpretação de texto, o bom súdito deve manter foco no texto


19/06/2014 | 11h01
Esconderijo dos famosos “pega-ratões”, as questões de interpretação de texto são um problema para muita gente nas provas de português do vestibular e doEnem. Há quem diga que não há questão capaz de iluminar mentes que sempre negaram a leitura, mas, hoje em dia, cursinhos pré-vestibular já entendem que é possível treinar o olhar sobre o texto, acostumá-lo a identificar a temática central proposta pelo autor e encontrar com clareza as respostas.
Papel supera telas em compreensão de texto, dizem cientistas
Entre posições destoantes sobre o tema, professores convergem ao afirmar que candidatos com histórico de interesse pelos livros e com hábito de leitura instigado pela família desde cedo largam na frente de quem só foi tocado pela literatura ao entrar no cursinho. Além de aprimorar a oratória, leitores fiéis estão mais familiarizados com a argumentação de autores e, portanto, mais preparados para as narrativas que podem encontrar pela frente. Mas há espaço para aprendizado mesmo entre os chamados “leitores hipertextuais”, acostumados a consumir textos acompanhados de imagens e infográficos na internet. Segundo o professor de português Ávila Oliveira, estes alunos são maioria em sala de aula.
– Este aluno, que traz menos bagagem de leitura, vai ter de fazer muitos testes, mas tem de buscar testes comentados, muitas provas da UFRGS. Não adianta apenas olhar o gabarito, porque ele precisa saber não só se acertou ou errou, mas por que acertou e por que errou – relata Oliveira.
Exercícios de interpretação de texto talvez não estimulem o vestibulando a tornar-se um leitor subitamente, mas podem condicioná-lo a identificar rapidamente uma alternativa esdrúxula. As armadilhas estão nas alternativas que dizem respeito a uma realidade, parecem factíveis, mas não estão de acordo com a argumentação do escritor ou tampouco são citadas no trecho selecionado.
– É preciso identificar o ponto de vista, a ideia central que o autor do texto está defendendo – aconselha Paulo Ricardo Machado, que leciona português no Grupo Unificado.
Espanhol e inglêsAs questões de inglês e espanhol costumam envolver essencialmente interpretação de texto. A principal dica para quem não domina a língua: não tente traduzir todas as palavras. Se não souber o significado, não perca muito tempo tentando lembrar, pois o mais importante é a ideia central do trecho. Compreender o propósito do autor é a exigência da banca.
– Faça uma leitura contínua e não fique traduzindo palavra por palavra. Tentar fazer isso sem entender o contexto é um problema – indica Carlos Castillo, professor de Espanhol.
Por não estarem na língua nativa, textos de inglês e espanhol são um convite à dispersão. Por isso, confira as perguntas antes de quebrar a cabeça.
– Primeiro leia as questões, para ir ao texto buscando alguma coisa, e não fazendo aquela leitura sem objetivo nenhum. A primeira leitura tem de ser focada – aconselha o professor de inglês Fábio Vasques.
Confirmação estatística no EnemVelha conhecida dos vestibulandos, a interpretação de texto ganha ainda mais importância com a progressiva adesão de instituições de Ensino Superior ao Exame Nacional do Ensino Médio. Um estudo realizado no início do mês, pela rede Universia Brasil, apontou que as questões envolvendo análise de texto e de poemas foram as mais frequentes em português nas últimas três edições do exame. A interpretação de charges e tirinhas também marcou presença, com nove questões nos últimos três anos do Enem.
A contabilidade faz parte de um grande estudo preparado pela rede de colaboração universitária, que aponta quais são os temas mais recorrentes em todas as matérias cobradas no exame (matemática, português, história, geografia, biologia, física, química, filosofia, inglês, espanhol e redação).
Alexsandra Bentemuller, gerente de conteúdo da Universia, diz que o estudo tem por objetivo destacar quantitativamente cada resultado.
– Nós queremos que o estudante tenha um dado estatístico para se apoiar na hora de estudar. Buscamos quais são as tendências dos últimos anos e, com isso, sinalizamos o que é mais importante estudar para essa importante prova na vida do estudante – afirma.
Destacamos abaixo algumas das informações contidas no raio-X. Acesse a série completa em zhora.co/rxenemuv.
43 questões sobre interpretação de texto 
13 perguntas sobre análise de poemas 
9 testes sobre interpretação de charges e tirinhas 
8 questões sobre letras e movimentos musicais
5 questões sobre figuras de linguagem
4 questões para relacionar obras de arte e textos
Eliminando errosConfira as dicas dos professores de português Ávila Oliveira, Paulo Ricardo Machado e Fábio D’Ávila, do Grupo Unificado, para driblar os “pega-ratões” presentes nas questões que envolvem os textos do vestibular da UFRGS
1. Comece a prova de português pelas questões de interpretação de texto. Normalmente exigem mais concentração do que as gramaticais.
2. Antes mesmo de começar a ler, confira a fonte do texto. Pode ser o trecho de uma obra que faz parte do programa do vestibular ou uma coluna de jornal ou revista. Se você conhece o autor, já largou na frente para acertar a questão.
3. Procure identificar o tema central defendido pelo autor do texto.
4. Sublinhe os principais trechos e preste atenção: normalmente eles vêm acompanhados de palavras definitivas, como “sempre”, “nunca”, “jamais”.
5. Classifique os parágrafos em específicos ou centrais.
6. Leia de três a quatro vezes o texto. Na UFRGS, eles normalmente são longos, mas o tempo de prova também, então não hesite em lê-los mais uma vez.
7. Olhos atentos para os tópicos frasais, que são os princípios de cada parágrafo. Normalmente eles indicam a ideia central que o autor desenvolve.
8. Ao ler as respostas possíveis, risque as alternativas mais absurdas, que de alguma forma vão contra a ideia principal defendida. Normalmente há uma ou duas destas por questão.
9. Lembre-se que as perguntas não são pessoais, mas sim relacionadas a posição do autor no texto. Às vezes concordamos com uma alternativa, mas ela sequer é citada no trecho.
10. Muito foco nas tirinhas. São lúdicas e parecem inofensivas, mas exigem sensibilidade do vestibulando para interpretar as ironias. Faça relações com as imagens, tente identificar a proposta do autor e comece a ler charges em jornais e na internet. Há sites com um grande acervo de Mafalda e Calvin, frequentes em provas, traduzidos para o português.
Questão comentada
 
Responda a questão com base na tira acima.
Usando uma expressão idiomática, em seu sentido consagrado, pode-se dizer que o personagem Dogberto tem a atitude de quem:
A) quer vender o peixe pelo preço que comprou. 
B) anda com a pulga atrás da orelha.
C) pretende vender gato por lebre.
D) imagina plantar verde para colher maduro.
E) não tem papas na língua.
Comentário do professor Ávila Oliveira, do Grupo Unificado:
A questão explora, como habitualmente ocorre nas provas da banca da UFGRS, os diferentes níveis de linguagem e suas acepções semânticas. Para a correta interpretação de uma tirinha, é necessário atentar para as diferentes informações que nela constam (título, diálogos, movimentos e expressões dos personagens).
No exemplo acima, é fundamental o entendimento da cena: um corretor transforma, em termos imobiliários, os problemas de um imóvel, tornando-os positivos. Assim, está caracterizada a expressão idiomática “vender gato por lebre”, ou seja, aquilo que se vende não corresponde, de maneira honesta, ao que se anuncia. Resposta C.
Postar um comentário