NO INICIO DO BLOG

9 de agosto de 2014

UFSM - RELEMBRANDO

Proposta de redação - Vestibular UFSM 2013/2014

Logo oficial UFSM

O tema da redação do processo seletivo vestibular 2013/2014 da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) surpreendeu os candidatos que disputam uma vaga na instituição. Mais uma vez a Comissão Permanente do Vestibular (Coperves) inova quando traz um problema social emergente, contemporâneo e preocupante na sociedade. A “autoajuda” figura como um sustentáculo para galgar nova motivação, energia e, acima de tudo, um carboidrato para a imersão da pessoa de volta às suas atividades diárias. Estamos presenciando uma sociedade da ansiedade, da emergência constante de problemas sociais e do aviltamento das necessidades de exposição sobre as inquietudes que rondam o indivíduo. 

A redação relacionou a autoajuda com a literatura, ou seja, com a busca de livros que propõem fórmulas, dicas e receitas de como buscar o caminho da felicidade, através da leitura. Aqui existe um ponto em comum na redação dos últimos dois anos, ou seja, a relação da temática com a felicidade. Ambas as propostas trazem indicativos diretos para que o candidato faça relação com ela. 

O vestibulando possuía duas opções para dissertar sobre o tema. Estratégia que a comissão de seleção arquitetou para incitar o candidato a se posicionar perante a pergunta: a autoajuda é mito ou realidade?

Caso o candidato posicionava-se na tese 1 – a autoajuda é mito – poderia fazer sérios questionamentos críticos sobre a literatura de autoajuda, no cerne da construção literária sobre a ilusão, da constituição de um discurso que não representa, de fato, as situações cotidianas das famílias contemporâneas. A saída do candidato seria, num pensamento estruturalista, pressupor que a pessoa está depressiva ou com falta de ânimo para viver, e que uma das soluções poderia ser a busca de ajuda profissional, calcadas no conhecimento técnico, quando a autoajuda se sustenta como um mito.

Ao optar pela tese 2 – a autoajuda é realidade – o texto poderia trazer a relevância da literatura de autoajuda como forma de identificar pensamentos positivos, estímulos para a pessoa ‘dar a volta por cima’, mostrando a importância dos cases de sucesso que evidenciam aqueles que venceram na vida, após uma série de dificuldades, entre outros. A mensagem otimista tem um poder salutar para a psique humana. Tem potencial de gerar expectativa e esperança para a pessoa retomar sua rotina, mas pode também acabar frustrando-a após contínuas tentativas não sucedidas. 

O candidato tinha entre 20 a 25 linhas para se posicionar sobre o tema proposto. O assunto fornece uma ampla e rica estratégia para refletir, dissertar e argumentar. Com certeza o debate não se encerra por aqui, mas é um tema muito pertinente na sociedade contemporânea. 
Postar um comentário