NO INICIO DO BLOG

25 de novembro de 2014

Tema de redação

Nova proposta de redação: relação homem-natureza

desmatamento
Para o desenvolvimento do tema “A relação homem-natureza”, leia atentamente os fragmentos de textos apresentados a seguir. O fragmento 1 foi retirado da reportagem intitulada “R$ 7 bilhões para salvar a Amazônia”. O fragmento 2 é parte de uma reportagem intitulada “Twitteiros fazem manifestação inédita contra queimadas no Brasil”.
Fragmento 1: 
R$ 7 bilhões para salvar a Amazônia
“[...] cientistas e economistas dos nove principais institutos de pesquisa e ONGs ambientalistas do país, como Imazon, WWF, Greenpeace, Instituto Socioambiental e Ipam, se juntaram para responder à seguinte pergunta: quanto custa frear a destruição da Amazônia? A resposta que eles encontraram, divulgada na quarta-feira passada no Congresso Nacional, é R$ 1 bilhão por ano. Não é um investimento tão alto. Só as usinas do Rio Madeira, em Rondônia, deverão custar R$ 17 bilhões [...]
[...] O desmatamento é um problema que o Brasil terá de enfrentar nas próximas décadas durante as negociações mundiais para o controle do clima. Não fosse por ele, o país seria um dos heróis mundiais na guerra contra as mudanças climáticas. O Brasil é um dos poucos países que podem se orgulhar de sua matriz energética. Mais de 80% de nossa eletricidade vem de usinas hidrelétricas. Essa energia não depende da queima de combustíveis fósseis e não gera resíduos radioativos. Também temos um dos programas de geração de combustíveis mais inovadores do mundo. Cerca de 45% de nossos veículos são movidos a partir de fontes renováveis, como o álcool ou o biodiesel, que não contribuem para o aquecimento do planeta. A média mundial é de menos de 15%. O país seria um dos mais isentos de culpa pelas mudanças climáticas se não fosse o desmatamento [...]”
Fragmento 2:
Twitteiros fazem manifestação inédita contra queimadas no Brasil
“#chega de queimadas. É esse o mais novo protesto na rede social Twitter. Iniciada ontem (25), a manifestação é um marco histórico na área ambiental: nunca antes uma campanha para denunciar os impactos das queimadas foi feito de maneira tão rápida e espontânea. [...]
[...] A situação mais crítica ocorre no Tocantins, onde as queimadas já destruíram 216 mil hectares do Parque Nacional do Araguaia. O instituto também considera crítica a situação no sul do Pará e em Rondônia. Além da destruição das florestas, as queimadas trazem prejuízos sociais e econômicos. Os aeroportos de Rondônia e Acre ficaram fechados por vários dias, por falta de visibilidade ocasionada pela fumaça. O tráfego nas estradas também foi afetado, principalmente no período noturno [...]
Em Rondônia os ribeirinhos estão com dificuldades para navegarem no Rio Madeira, já que além da baixa do rio, ocasionada pelo período de seca, a visibilidade é praticamente zero. Na região urbana a cidade está tomada por neblina, e a fumaça, em certos momentos chega a tomar conta das residências. Os atendimentos nos postos de saúde e nas policlínicas aumentaram substancialmente: apenas no Hospital Infantil Cosme e Damião, o atendimento a crianças que apresentam problemas respiratórios subiu 70% [...]”
A RELAÇÃO HOMEM-NATUREZA
Vidas secas, romance de Graciliano Ramos publicado em 1938, já tematizava sobre a relação homem-natureza, ou seja, como o meio-ambiente pode influir na vida do ser humano. Os fragmentos anteriores também trabalham essa questão. O primeiro, embora trate da questão da destruição da Amazônia, apresenta uma possibilidade de salvação, cujo custo seria de R$ 1 bilhão por ano, como aponta a reportagem.
A partir da releitura dos fragmentos de textos, manifeste sua opinião em um texto argumentativo/dissertativo sobre o tema.
Postar um comentário