NO INICIO DO BLOG

23 de janeiro de 2017

COLOCAÇÃO PRONOMINAL

O tema de hoje é colocação pronominal nos tempos simples (aqueles que apresentam somente um verbo). Vamos lá?
Em primeiro lugar, é importante saber que, quando falamos de colocação pronominal, analisamos a posição dos pronomes oblíquos átonos em relação ao verbo. Trata-se, então, de saber se
O, a, os, as, no, nas, nos, nas, lo, la, los, las
Me, te, se, nos, vos
Lhe, lhes
Virão ANTES do verbo, em PRÓCLISE;
Virão INTERCALADOS ao verbo, em MESÓCLISE;
Virão DEPOIS do verbo, em ÊNCLISE.
Para começar, lembre-se sempre de que:
1. É PROIBIDO colocar pronome oblíquo átono em início de período.
Me cansei de esperar que a internet funcionasse.
Cansei-me de esperar que a internet funcionasse.
2. É PROIBIDO colocar pronome oblíquo átono depois de verbos nos futuros do presente e do pretérito, ambos do indicativo.
Ajudaria-me, se pudesse.
Ajudar-me-ia, se pudesse.

Eu mandarei-te as respostas.
Eu te mandarei as respostas.

3. É PROIBIDO colocar pronome oblíquo átono depois de verbos no particípio.
Tinha enviado-nos flores.
Tinha nos enviado flores.

Vejamos, agora, os casos obrigatórios de próclise, mesóclise e ênclise:
CASOS OBRIGATÓRIOS de PRÓCLISE
1. Com palavras atrativas antes dos verbos.
São palavras atrativas:
a) Aquelas de sentido negativo (não, nunca, ninguém, jamais etc.)
–> Não me lembrei de fazer o trabalho da faculdade.
b) Advérbios curtos que não se separam do verbo por vírgula (tais como hoje, ontem, já, agora etc.)
–>Sempre te queixas sem razão.
c) Pronomes relativos (quem, quem, o qual, a qual…)
–> As mulheres que se preparam disputam vagas de trabalho com os homens.
d) Pronomes indefinidos substantivos (algum, nenhum, cada, alguém, ninguém etc.)
–> Alguém o levou ao hospital, mas não estou certo de quem foi.
e) Pronomes demonstrativos substantivos (este, esse, isto, aquele etc.)
–> Aqueles vos mandaram lembranças.
f) Conjunções subordinativas…
… integrantes (que e se).
–> É importante que se tomem medidas contra a inflação.
… adverbiais (se, caso, quando…)
–> Caso se dediquem aos estudos, obterão sucesso.
2. Na estrutura preposição EM + pronome + gerúndio
“… em se plantando, tudo dá…” ( Pero Vaz de Caminha).
3. Com infinitivo pessoal preposicionado
Ao te aproximares, grita que virei ao teu encontro.
4. Em orações interrogativas que comecem com pronomes ou advérbios interrogativos
Onde te estabeleceste?
Quem me procurou ontem?
5. Em orações optativas (que exprimem desejo)
Nossa Senhora o acompanhe!
Bons ventos o levem!

6. Em orações exclamativas
Macacos me mordam!
CASOS OBRIGATÓRIOS de MESÓCLISE
A mesóclise ocorre somente com verbos nos futuros do indicativo (do presente e do pretérito) e somente será obrigatória quando verbos flexionados em tais tempos vierem no início da frase, pois nesse caso a próclise será proibida.
Dúvidas quanto a tempos e modos verbais? Clique AQUI e veja o post sobre o assunto.
Veja a frase com um verbo no futuro do presente do indicativo:
Te darei um presente. (Próclise proibida, pois não se pode começar frase com pronome oblíquo átono).
Darei-te um presente. (Ênclise proibida, pois não se pode colocar pronome oblíquo átono depois de futuros do indicativo).
Dar-te-ei um presente. (Frase correta e única opção para este caso).
Agora com um verbo no futuro do pretérito:
Dar-te-ia um presente, se hoje fosse teu aniversário. (Assim como no caso acima, trata-se da única opção viável).
Se houvesse alguma palavra, deste que não atrativa, antes do verbo, poderíamos escolher entre próclise e mesóclise. Todavia, em situações assim devemos dar preferência à próclise, pois a mesóclise é uma construção já arcaica e que confere um ar de “rebuscamento” desnecessário ao texto.
Eu te daria um presente… (preferível).
Eu dar-te-ia um presente…

CASOS OBRIGATÓRIOS de ÊNCLISE
1. Quando o verbo inicia a frase, desde que ele não esteja flexionado em algum dos futuros do indicativo (do presente e do pretérito) e nem no particípio
Faz-me mal ouvir esse tipo de coisa.
Enviei-lhe o novo catálogo de produtos.
2. Com gerúndio não precedido de preposição
Sabe aqueles vários vestidos? Depois do término do namoro, ela se animou comprando-os.

3. Com verbos no imperativo afirmativo
Por favor, mande-me aquele documento.
4. após advérbio seguido de vírgula
Hoje, faz-se muita coisa prejudicial ao meio-ambiente.
ATENÇÃO: o uso de verbos no infinitivo impessoal (aquele não flexionado, que se apresente em sua forma natural, como andar, correr, sentir) faz com que tanto a próclise quanto a ênclise sejam possíveis, ainda que haja palavra negativa antes do verbo. Vejamos:
É melhor não o desapontar.
É melhor não desapontá-lo.
Fiquemos por aqui, com uma última observação: quando usamos os pronomes pessoais oblíquos O, A, OS, AS…
… em ênclise com verbos terminados em R, S ou Z: deve-se eliminar o R, S ou Z do fim do verbo e acrescentar um L ao pronome enclítico:
Fazer + a = fazê-lo
Fiz + o = fi-lo

… em ênclise com verbos terminados em som nasal: deve-se acrescentar a letra N ao pronome enclítico:
Compraram + os = compraram-nos.
Põe + as = põe-na.
Postar um comentário