No inicio do blog

1 de novembro de 2016

A intervenção na redação do ENEM


Todo tema de redação do ENEM ou É um problema ou TEM um problema. (Hora do ENEM)
O  textoinicia como uma frase retirada da Plataforma “Hora do Enem”. E é justamente a solução da problemática trazida pela redação do exame a pauta dos próximos parágrafos. Leia com calma e atenção o artigo, procure absorver as principais dicas e colocá-las em prática na prova. Boa leitura!

1: NÃO CITE UMA CAUSA DO PROBLEMA A QUAL VOCÊ NÃO CONSEGUE SOLUCIONAR

Exigência de coerência interna e de efetividade: Faça a solução com base nas CAUSAS (=raízes) do problema, atacando-as. Exemplo: problema de fundo cultural exige intervenção que invariavelmente modifique tal cultura.
EVITE: “O governo precisa investir mais na educação.”

2: NÃO PROPONHA UMA INTERVENÇÃO VAGA

Exigência da concretude: QUEM pode agir / O QUE pode fazer / COMO pode proceder.
  1. Cuidado com intervenções com efetividade somente FUTURA.
  2. Campeão de incompletude: conscientização. Quem conscientiza? Como? Onde?
EVITE: “Precisamos repensar nossos atos.”

3: NÃO PROPONHA SOLUÇÕES SEM JUSTIFICÁ-LAS

Exigência de intervenção claramente necessária: O que NÃO fazer: solução desarticulada / extrema / impossível / preconceituosa / desagregadora.
  1. Complexo de herói: tentar “salvar o mundo” via redação. Priorize propostas cabíveis e imediatamente aplicáveis. Você não é o salvador da pátria! Somente precisa fazer um esforço cognitivo de análise de situação social, intervindo na realidade de forma hipotética.
EVITE: “devemos ensinar as crianças, futuro da nação.”

4: NÃO DIGA SÓ O QUE JÁ ESTÁ SENDO FEITO

Exigência de intervenção concreta na realidade: Se as soluções existentes de fato resolvessem o problema, você não estaria dissertando sobre ele.
  1. Cite algo que  é feito e tem funcionado, porém sugira ampliar. Exemplo: coleta mecanizada do lixo em Caxias do Sul-RS
  2. Também é efetivo citar o que NÃO resolve, pois reforça as soluções escolhidas.
EVITE: “É preciso ampliar ações já existentes.”

5: NÃO TENTE SOLUCIONAR TUDO EM DUAS LINHAS

Exigência de detalhamento dos meios e dos agentes de solução: Proposta detalhada exige uma boa porção de linhas para delimitar a viabilidade das ações.
  1. Dicas de estruturação: reservar quase TODA a conclusão para resolver, após retomar rapidamente a tese, ou ir solucionando na conclusão de cada parágrafo, como fechamento.

6: NÃO APRESENTE UMA INTERVENÇÃO UTÓPICA

Exigência de viabilidade: Como viabilizar tal proposta?
  1. Use os termos via / por meio = detalhamento explícito.
  2. Antecipe perguntas céticas: sua solução é viável? Já foi posta em prática? Preveja objeções.
EVITE: “Para estimular maior participação política, deve-se obrigar cada cidadão a se filiar a um partido político.”

7: NÃO JOGUE A RESPONSABILIDADE DA SOLUÇÃO EM UM SÓ AGENTE

Exigência de responsabilidade compartilhada (ação conjunta / parceria): Problema coletivo e complexo? Ação coletiva! Um é pouco, dois é bom e talvez três seja o ideal. Explore o GOMIFES (sete agentes eficazes):
  1. GOVERNO: multas / isenção ou incentivo fiscal / criação, alteração e fiscalização de leis / campanhas públicas de conscientização / políticas públicas específicas / ações afirmativas.
    • Cuidado para não sugerir uma lei que JÁ EXISTA = atenção ao “princípio da ignorância” = se não conheço, não significa que não existe.
    • Determine qual ÓRGÃO governamental. Exemplo: Ministério da Educação / do Esporte / do Transporte / da Justiça / da Previdência Social / da Saúde / da Ciência, Tecnologia e Inovação / da Cultura; esfera estadual, federal e municipal do poder / Poder Legislativo (alteração do Código Penal) / Congresso Nacional.
  2. ONGs (instituições autônomas, solidárias, sem fins lucrativos = pressão politica na sociedade).
    • Associações, agremiações, cooperativas (algum representante da sociedade civil).
  3. MÍDIA (papel social / meio de comunicação e elemento persuasivo, difusora de informação e principal veículo formador de opinião)
    • Campanha midiática (televisiva / radiofônica / eletrônica / impressa). Propagandas, novelas, filmes, desenhos, programação educativa, debates.
  4. INDIVÍDUO / INICIATIVA PRIVADA Parcerias com a inciativa pública (em troca de isenção fiscal).
  5. FAMÍLIA (forte influência na educação individual, na formação do amadurecimento emocional = raio de ação mais limitado).
    • Solução fraca: aquela que enfocar família como único agente. Busque conscientizá-la antes.
  6. ESCOLA (mobilizar família e comunidade via projetos sociais).
    • Projetos culturais e educacionais de integração da comunidade / reeducação social / aulas, oficinas e palestras para conscientização precoce / criação de matéria escolar, como Inteligência Emocional / Estudo da Constituição Federal (1988) / Acompanhamento psicológico semanal.
  7. SOCIEDADE Projetos de voluntariado / grupos de apoio / fóruns de discussão.
    • EVITE: “o governo precisa tomar uma atitude.”

8: NÃO APRESENTE UM AGENTE INCAPAZ DE RESOLVER O PROBLEMA

Exigência de viabilidade: Exemplos inadequados: delimitar mídia como principal agente de conscientização ambiental (consumismo a mantém) / sugerir que escola combata obesidade infantil (tema: obesidade em geral).

9: NÃO SOLUCIONE UM PROBLEMA NÃO ABORDADO

Exigência de vínculo direto com a tese: Observe a coerência entre o primeiro desenvolvimento, que delimita e contextualiza o problema, e a conclusão, que resolve o que foi delimitado. A solução sempre deve ser um desdobramento da argumentação.

10: NÃO DESCONSIDERE OS DIREITOS HUMANOS

Exigência de postura cidadã (intervenção ética, solidária e democrática): Leve em conta os direitos das minorias sociais (conceito histórico-cultural) = negros, mulheres, idosos, crianças, adolescentes (atenção aos grupos MAIS vulneráveis). A noção de SOLIDARIEDADE implica cooperação, reciprocidade e colaboração.
  1. Marco dos direitos: Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948, referencial ético pós-guerra).
  2. Base: lema da Revolução Francesa (liberdade, igualdade e fraternidade).
  3. Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos (2012): ponto de partida da elaboração do ENEM.
    • Tópicos centrais: dignidade humana, igualdade de direitos e reconhecimento / valorização das diferenças e diversidades.
    • Desafio da Educação para os Direitos Humanos: livrar a sociedade da DISCRIMINAÇÃO, da POBREZA e do PRECONCEITO.
    • Educar para a PAZ: informar, formar e transformar (sujeito voltado para os reais compromissos sociais). Formação ética, crítica e política do indivíduo, empoderando-o e emancipando-o (sujeito de direitos, com condições de melhorar sua situação).
  4. Principais direitos citáveis na redação (incondicionais):
    • DIREITOS CIVIS E POLÍTICOS: liberdade de expressão, de pensamento, de culto, de imprensa, de ir e vir, presunção de inocência.
    • DIREITOS SOCIAIS E ECONÔMICOS: moradia, alimentação, transporte, educação, saúde, trabalho, lazer, segurança e previdência social.
    • DIREITOS COLETIVOS: direito do consumidor, proteção à infância e à adolescência, aos idosos, às pessoas com deficiência, ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, preservação da memória e do patrimônio cultural.
  5. EVITE: “Os países devem expulsar os imigrantes porque são inferiores aos nativos.”
Para Praticar
Qual a falha das seguintes intervenções?
  1. “Ricos e pobres não podem se misturar, por isso a habitação social deve ser feita nas periferias, e não em regiões centrais.”
  2. “A solução está na educação.”
  3. “É preciso agir para reverter este quadro.”
  4. “Devemos isolar os criminosos numa ilha deserta.”
Postar um comentário