No inicio do blog

5 de novembro de 2016

NÃO FUJA DO TEMA DE REDAÇÃO


Todo texto precisa de uma declaração de propósito. Independente do tema sugerido, você irá passar seu ponto de vista acerca dele.
A favor, contra, neutro, não importa, por mais que o examinador concorde ou discorde daquilo que você escreveu, ele não irá aumentar ou reduzir sua nota em virtude disso.
Não se iluda achando que o corretor de sua redação irá se impressionar com palavras difíceis, ou se comoverá por você ser contra a exploração de crianças que pedem dinheiro na rua. O examinador está procurando saber se você consegue expressar claramente seu ponto de vista de modo que seu texto possa ser bem compreendido por quem o ler.
Apesar de estar expressando sua opinião, nem sonhe em usar em sua redação palavras como: "eu acho que", "Na minha opinião" "Eu penso que", procure não escrever na primeira pessoa. Seja o autor, e não o personagem central de sua redação. 

“Coisismo”

Muitos estudantes sofrem de coisismo. Eles enfeitam suas redações com coisas aqui e ali. Em uma redação cheia de “coisas” o examinador pode perguntar: “Mas que coisa é esta?”. Procure não ser superficial ao escrever seu texto, e evite o uso da palavra coisa.

Procure objetividade. Uma coisa é apenas uma “coisa”, não dá propósito a sua redação. Exemplo:
O protocolo de Kyoto é uma coisa muito boa para o mundo. Enquanto muitas coisas tem sido feitas para melhorar o meio ambiente, muitas coisas foram esquecidas ao longo dos anos. Uma coisa é certa...

Transições

 É importante estar atento às passagens em seu texto. Muitas pessoas começam escrevendo sobre seu amigo de infância, comentam a crise na Argentina, fazem referências ao atentado de Nova Iorque e concluem com a reprodução em cativeiro dos pandas na China.
Seu texto precisa ser coerente do início ao fim, portanto você deve tomar o máximo cuidado para não mudar seu foco durante o desenvolvimento, nem alterar seu propósito no decorrer da redação. Mesmo que o tema seja mantido, tome cuidado para não mudar o propósito ou sua posição do início para o fim do texto.
Exemplo:
TEMA: A RELAÇÃO DOS BRASILEIROS COM OS LIVROS
 
Introdução
O povo brasileiro não tem o hábito de ler, sua média anual de compra de livros é muito inferior à média dos países desenvolvidos e não há nada sendo feito para mudar esse quadro. 
Desenvolvimento
O Brasil está aprendendo a importância da leitura na sua formação cultural e está cada vez mais interessado em adquirir bons livros, bem como freqüentar bibliotecas e livrarias. 
Conclusão 
Se essa situação não se reverter, em pouco tempo nos tornaremos uma nação ignorante, educada exclusivamente pela televisão...
Note que não há fuga do tema; tanto na introdução, como no desenvolvimento e conclusão o foco no tema é mantido. Contudo, há uma confusão de idéias. No começo é dito que o povo brasileiro não costuma ler, depois que ele está começando a se habituar a ler, e termina mostrando que se faz necessária uma mudança nesse quadro. Em qual quadro? O do povo que não tem o hábito de comprar livros ou o que está começando a valorizar a leitura?
Apesar de ser mantido o foco no tema, há uma fuga do propósito.
É preciso muito cuidado com as transições em um texto, além de coerentes, elas precisam se encaixar e estar muitas bem relacionadas umas as outras, para que o examinador não se confunda durante a leitura.
Precisa ficar muito claro para o examinador a posição apresentada no texto em relação ao tema sugerido.

Não fuja ao tema

O tema sugere uma dissertação sobre a economia mundial, mas você insiste em escrever algumas linhas sobre seu time do coração.
Quando a redação possui um tema, o examinador espera que escreva sobre esse tema. Fugir do tema é zero na redação, e consequentemente um adeus a sua vaga na faculdade, por melhor que tenha sido seu desempenho na prova.
O examinador não espera que você seja um perito em economia mundial, muito menos que saiba todos os detalhes sobre o processo de reestruturação econômica dos países subdesenvolvidos.
O examinador quer saber se você consegue se expressar de forma compreensível e eficiente através de uma folha de papel, é claro que, sempre focalizado no tema.
Geralmente os temas abordados são relativos ao cotidiano e não necessitam de nenhum conhecimento específico para serem desenvolvidos. Dificilmente você encontrará grandes dificuldades em fazer uma redação por ter pouca ciência a respeito do tema.
Portanto, mesmo que você tenha pouco conhecimento sobre o assunto, não tente enganar o examinador se desviando do tema pedido e direcionando sua redação para assuntos com os quais você se sinta confortável.
Postar um comentário