NO INICIO DO BLOG

15 de novembro de 2016

Prova do Enem 2017 Poderá Ter Apenas um Dia e Sem Redação


Não se sabe ao certo o que vai ser do Enem no ano que vem, apenas temos a expectativa de que haverá mudanças. Em virtude da alteração de governo e pelo tom das críticas da nova chefia do Ministério da Educação (MEC) e Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) ao modelo “seletivo” com características de vestibular do exame, podemos ter alterações drásticas no formato da prova.
De acordo com proposta do ministro da educação Mendonça Filho, segundo matéria publicada no site da Rádio Jovem Pam, em vez de uma maratona de questões aplicada num final de semana todo, podemos ter a prova com menos itens e realizada em apenas uma data, no caso o domingo. Além disso, é possível que a redação deixe de fazer parte do exame.
A principal justificativa para supostas mudanças no Enem 2017, além do resgate de um modelo mais avaliativo que seletivo, como era na sua origem em 1998, seria a questão financeira. A aplicação da prova numa data única facilitaria a organização da logística e segurança, baixando os custos do exame nesse sentido, além de outros quesitos, como impressão e transporte.
A possível exclusão da redação segue a mesma lógica. Cada texto passa, no mínimo, pelas mãos de dois corretores. E há um custo médio por dissertação corrigida, que obviamente seria eliminado do orçamento do exame nessa condição.
Além disso, uma outra eventual novidade seria a aplicação de mais de uma edição do Enem por ano, o que deve aumentar as possibilidades para os candidatos ingressarem no ensino superior por meio dos programas do governo. No entanto, vai na contramão da redução de custos.
A prova atual do exame, que permanece a mesma desde 2009, traz 180 questões e uma redação, aplicados em 4h30 no sábado e em 5h30 no domingo. Conforme dados divulgados pelo MEC, o custo da edição de 2016 até o momento foi o maior da história do Enem, batendo a casa dos 788 milhões de reais.
Postar um comentário