No inicio do blog

3 de novembro de 2016

REDAÇÃO ENEM




A edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano de 2016 será realizada nos dias 5 e 6 de novembro e muitos candidatos se perguntam o que fazer na véspera do exame.
Em relação à prova de redação, passou o momento de escrever dissertações-argumentativas a todo o vapor sobre os mais variados temas. Agora, é hora de focar no que pode ser melhorado nos textos e de revisar os possíveis temas.
Neste sentido, o ideal é que o candidato guarde, ao longo do ano, as redações corrigidas pelos seus professores a fim de analisá-las no decorrer do tempo com o objetivo de verificar em quais aspectos a escrita pode ser melhorada, focando quais competências da grade de correção da prova de redação podem e devem ser melhor cumpridas. É por isso que a revisão e a reescrita das dissertações-argumentativas são fundamentais ao longo de todo o Ensino Médio (se possível, ao longo do segundo ciclo do Ensino Fundamental também) para que o aluno incorpore o hábito de escrever e reescrever, prestando atenção em seus desvios.
Na hora de receber uma redação corrigida pelo professor, o aluno e futuro candidato do Enem não deve apenas olhar para a nota total e guardar o texto numa pasta no fundo do armário; a correção é essencial para refletir sobre o que pode ser melhorado e o momento de focar neste quesito é agora. 
Feito isso, as redações que obtiveram notas máximas em edições passadas do Enem atuam, neste momento, como fontes de inspiração. Por exemplo: o candidato que, ao analisar seus textos, conclui que deve ser mais detalhista e prático na quinta competência (elaborar proposta de intervenção social para o problema abordado respeitando os direitos humanos) pode ler as propostas de intervenção social de dissertação-argumentativas nota mil que analisamos neste  blog e analisar o seu grau de detalhamento e praticidade, já que soluções genéricas e amplas são as menos pontuadas nesta competência.
Já em relação ao provável tema da prova de redação do Enem 2016, nenhum professor é guru ou vidente; todos os palpites são apenas isso, palpites que têm como objetivos fazer os candidatos se informarem sobre determinados temas, algo que deveria ter sido feito ao longo de todo o ano. Porém, nesta semana, essa parte da preparação e do estudo pode se intensificar com a leitura de jornais, revistas e portais de notícias da internet, além dos textos desta coluna que analisaram, em 2016, os mais variados temas que ficaram em alta na mídia brasileira.
Nesse sentido, nunca é demais repetir que a tradição da prova de redação do Enem é abordar um tema situado no contexto social e histórico brasileiro e que deve ser solucionado de uma forma que respeite os direitos humanos. Deste modo, o Enem exige do candidato uma postura cidadã, proativa e respeitosa que não incite a violência de maneira nenhuma.
Partindo para o dia da prova de redação do Enem 2016, domingo, dia 6 de novembro, cada candidato deve escolher se escreve a dissertação-argumentativa antes ou depois das questões, processo que deveria ter sido testado ao longo de todo ano, em simulados, por exemplo. Aos que optarem por realizar a redação depois de resolver as questões, leiam a proposta antes para, pelo menos, já saberam qual será o tema.
Em relação ao processo de escrita, não deixem de fazer o rascunho; ele é o momento mais importante da realização da prova de redação, pois é nele que o texto será planejado e organizado. Ao passar a limpo, o candidato deve atentar-se à letra, que deve ser legível, e evitar rasuras, já que o uso de corretivo é proibido em vestibulares em geral.
No que diz respeito ao tempo, neste dia, é acrescida uma hora no tempo de prova por conta da proposta de redação e o candidato deve administrá-lo da melhor maneira possível.
Postar um comentário