NO INICIO DO BLOG

26 de fevereiro de 2017

Entendendo o Superlativo Absoluto Sintético


Diálogo hipotético entre dois aficionados por palavras cruzadas:
– Muito magro, com nove letras?
– Magríssimo!
– Essa tem 10 letras!
– Magérrimo!
– Não dá certo na terceira letra…
Mas… por que não deu certo no espaço, por que não coincidiu com a terceira letra da palavra que se cruza? Porque a forma do superlativo absoluto sintético do adjetivo magro não é magérrimo, é macérrimo!
Quando estudamos os adjetivos, vemos que são uma classe variável de palavras, ou seja, sofrem flexões: quando são biformes apresentam flexão de gênero (masculino e feminino), de número (singular e plural) e de grau (comparativo e superlativo). Em gênero e número, as flexões do adjetivo acompanham as do substantivo, porém no caso da flexão de grau dos substantivos temos a ideia de tamanho desses seres, enquanto nos adjetivos temos uma informação de intensidade dessas características. No caso de ‘belo’, por exemplo, teremos a noção de quanto de beleza, de qual é a intensidade da beleza no ser em questão.
Podemos então comparar essa beleza em dois seres diferentes:
  • A é mais belo que B. – grau comparativo de superioridade
  • A é menos belo que B. – grau comparativo de inferioridade
  • A é tão belo quanto B. – grau comparativo de igualdade
Ou ainda, podemos ‘potencializar’ essa característica no ser, empregando o grau superlativo:
  • A é belíssimo.
O padrão de formação do grau superlativo absoluto sintético dos adjetivos é a junção do sufixo “–íssimo”:
  • Ágil – agilíssimo
  • Original – originalíssimo
Mas precisamos de cuidado com a ortografia, pois há casos que fogem a esse padrão. Vejamos alguns:
Quando o adjetivo termina em vogal, some essa letra final:
  • Alto – altíssimo
  • Belo – belíssimo
  • Forte – fortíssimo…
Nos adjetivos terminam em “-io”, a letra ‘i’ é duplicada, formando o hiato i-í:
  • Sério – seriíssimo (embora seja aceita a forma ‘seríssimo’)
  • Necessário – necessariíssimo
  • Precário -precariíssimo
Ocorrem alterações também nos adjetivos terminados em “-vel”, em “-z”, em “-m” e em “-ão”: há uma adaptação da forma latina primitiva:
  • para –bilíssimo: amável / amabilíssimo; notável / notabilíssimo; sensível / sensibilíssimo
  • para –císsimo: feliz / felicíssimo; feroz / ferocíssimo; veloz / velocíssimo
  • para –níssimo: comum / comuníssimo; jovem / juveníssimo; bom / boníssimo
  • para –aníssimo: são / saníssimo; cristão / cristianíssimo; vão / vaníssimo
Existem ainda vários adjetivos que apresentam um radical secundário e retornam para a forma latina erudita, para então receberem o sufixo de formação do grau superlativo: macérrimo (o termo adequado para as palavras cruzadas do diálogo inicial), paupérrimo, celebérrimo, nigérrimo, entre outros.
Confira aqui algumas formas que merecem atenção, vá memorizando, procure empregar e aumente seu vocabulário:
Adjetivos- Superlativo absoluto sintético
Ágil- Agilíssimo ou agílimo
Amargo- Amaríssimo
Áspero- Aspérrimo
Amigo- Amicíssimo
Agradável- Agradabilíssimo
Bom- Boníssimo ou ótimo*
Benéfico- Beneficentíssimo
Benévolo- Benevolentíssimo
Cruel- Crudelíssimo
Capaz- Capacíssimo
Difícil- Dificílimo
Dócil- Docílimo
Doce- Dulcíssimo ou docíssimo
Eficaz- Eficacíssimo
Fácil- Facílimo
Fiel- Fidelíssimo
Feroz-   Ferocíssimo
Frágil-   Fragílimo
Geral-   Generalíssimo
Grande-   Máximo*
Humilde-  Humílimo
Incrível-   Incredibilíssimo
Jovem-   Juveníssimo
Livre-   Libérrimo
Magro-   Magríssimo ou macérrimo
Manso-   Mansuetíssimo
Mau- Malíssimo ou péssimo*
Miserável-  Miserabilíssimo
Negro-   Negríssimo ou nigérrimo
Notável- Notabilíssimo
Nobre-   Nobilíssimo
Pobre-   Paupérrimo ou pobríssimo
Pequeno- Mínimo*
Respeitável-   Respeitabilíssimo
Sábio-   Sapientíssimo
Sagrado- Sacratíssimo
Simpático-   Simpaticíssimo
Terrível-   Terribilíssimo
Veloz-   Velocíssimo
Voraz- Voracíssimo
vulnerável- vulnerabilíssimo
Postar um comentário