NO INICIO DO BLOG

11 de junho de 2014

Clichês

Clichê

O clichê é o "senso comum" das expressões. São aquelas expressões que todo mundo usa e que todo mundo está cansado de ouvir. Então, aí vai uma listinha com alguns exemplos de clichês que você deve, acima de tudo, evitar em sua redação:

desde os primórdios da humanidade
nos dias de hoje
nos dias atuais.
atualmente
com base nos fatos mencionados, conclui-se que
para concluir
luz no fim do túnel
no fundo do poço
um caso de amor e ódio
é preciso que todos se conscientizem
caixinha de surpresas
como o diabo foge da cruz
a pergunta que não quer calar
agradar a gregos e a troianos
pedras no sapato
faca de dois gumes
se cada um fizer a sua parte
fechar com chave de ouro
voltar à estaca zero
aparar as arestas
nós, brasileiros
nós, seres humanos
é conveniente para o governo que
crítica construtiva
nunca antes na história da humanidade
nunca antes na história do Brasil
só assim conquistaremos a vitória
nos quatro cantos do mundo
tocar corações e mentes
correr atrás do prejuízo
obra faraônica
a todo vapor
dar a volta por cima
em alto e bom tom
preencher uma lacuna
deixou a desejar
do Oiapoque ao Chuí
quem tem boca vai a Roma
começar com o pé direito
antes de mais nada
inserido no contexto
rota de colisão
mão na roda
está na moda


E algumas citações, por serem usadas demais, também caíram no caso dos clichês:

Só sei que nada sei (Sócrates)
Tudo vale a pena quando a alma não é pequena (Fernando Pessoa)
Da onde eu vim? Para aonde eu vou? 



Além dos clichês, você deve evitar informalismos (onde, a gente, etc...) gírias e expressões vagas (todo mundo, sempre, nunca, todos, etc...).
Postar um comentário