NO INICIO DO BLOG

4 de julho de 2014

Colocação pronominal junto às locuções verbais

A colocação pronominal nas locuções verbais

A colocação pronominal nas locuções verbais faz parte de um dos muitos assuntos relacionados à gramática e é definida pela posição do pronome oblíquo.

A colocação pronominal nas locuções verbais faz referência à posição ocupada pelo pronome oblíquo (antes, no meio ou depois do verbo) 
A colocação pronominal nas locuções verbais faz referência à posiçãoocupada pelo pronome oblíquo (antes, no meio ou depois do verbo)



A colocação pronominal nas locuções verbais nos revela mais um dos tantos pressupostos atribuídos à gramática normativa. E, como tal, no sentido de nos familiarizarmos com estes, faz-se necessário estarmos cientes, antes de tudo, de suas bases conceituais, no sentido de compreendermos melhor os pontos que os delineiam.

Sem mais delongas, a fim de conhecermos mais um pressuposto, façamos um retrospecto, no sentido de definirmos o conceito relacionado à colocação pronominal, bem como às locuções verbais, respectivamente. Define-se como colocação pronominal as distintas posições assumidas pelo pronome oblíquo, estando esse inserido num dado contexto linguístico. Tais posições são demarcadas pelo fato de que ele (o pronome) pode estar antes, no meio ou depois do verbo.

Locuções verbais, por sua vez, definem-se como a junção de dois verbos – um deles, denominado de auxiliar; e outro, chamado de principal, expresso numa das formas nominais: infinitivo, gerúndio ou particípio.

Assim sendo, tendo em vista que a colocação pronominal se faz presente também nas locuções verbais, torna-se importante estarmos munidos de algumas informações, estando elas elucidadas a seguir:

Casos relacionados a locuções em que o verbo principal ocorre no infinitivo ou no gerúndio:

* Em se tratando de casos nos quais se evidencia o fator de próclise (para reconhecê-lo precisamos conhecer bem as regras que regem a colocação pronominal), o pronome oblíquo deve permanecer antes do verbo auxiliar ou depois do verbo principal. Assim, note os exemplos abaixo:

Não lhe devo considerar como o melhor aluno.
(verbo auxiliar) (verbo principal)

* O fator de próclise foi reconhecido pela presença do advérbio de negação: não.

Não devo considerar-lhe como melhor aluno.
(verbo auxiliar) (verbo principal)

* Nos casos em que a locução verbal não vier precedida de um fator de próclise, o pronome oblíquo pode permanecer depois do verbo auxiliar ou depois do principal. Constate alguns casos representativos:

Devo-lhe considerar como melhor aluno.
(verbo auxiliar) (verbo principal)

Devo considerar-lhe como melhor aluno.
(verbo auxiliar) (verbo principal)

Nas locuções verbais em que o verbo principal ocorre no particípio:

* Não havendo fator de próclise, o pronome deve permanecer depois do verbo auxiliar. Perceba alguns exemplos:

Havia-lhe relatado o essencial.
(verbo auxiliar) (verbo principal)

Suas intenções haviam-se materializado.
(verbo auxiliar) (verbo principal)

* Havendo fator de próclise, o pronome permanece antes do verbo auxiliar.

Não lhe havia relatado o essencial.
(verbo auxiliar) (verbo principal)

* A próclise foi detectada em virtude, novamente, do advérbio de negação.

Como se nos tivéssemos cumprimentado mutuamente.
(verbo auxiliar) (verbo principal)

* O fator de próclise foi demarcado pela presença de uma conjunção subordinada adverbial - “como”
Postar um comentário