NO INICIO DO BLOG

15 de janeiro de 2015

Redação - ENEM - 2015


O início do ano é o período para se começar com calma, organização e planejamento dos estudos para o Enem 2015. Para tanto, iniciar esta preparação com os pensamentos adequados e corretos é fundamental para não se perder durante esta importante etapa e, em termos de redação, ter em mente, sempre, as cinco competências avaliadas pela banca corretora do Enem é essencial. Vamos relembrá-las?


COMPETÊNCIA 1 – Demonstrar o Domínio da Norma Culta da Língua
  • Domínio precário da norma culta, com graves e frequentes desvios gramaticais, de escolha de registro e de convenções da escrita.
  •      
  • Domínio razoável da norma culta, com desvios gramaticais, de escolha de registro e de convenções da escrita, pouco aceitáveis nessa etapa de escolaridade.
  •      
  • Bom domínio da norma culta, com pontuais desvios gramaticais e de convenções da escrita.
  •      
  • Muito bom domínio da norma culta, com raros desvios gramaticais e de convenções da escrita.
ASPECTOS DA NORMA CULTA A SEREM CONSIDERADOS:
A – Adequação de Registro
     
  • Formal/coloquial
  •      
  • Variante adequada ao tipo de texto e à situação de interlocução
B – Norma Gramatical
     
  • Sintaxe de concordância, regência e colocação.
  •      
  • pontuação
  •      
  • flexão
C – Convenções da Escrita
     
  • Escrita das palavras (ortografia/acentuação)
  •      
  • Maiúsculas e minúsculas


COMPETÊNCIA 2 – Compreender a Proposta de Redação e Aplicar Conceitos Das Várias Áreas de Conhecimento para Desenvolver o Tema, Dentro Dos Limites Estruturais Do Texto Dissertativo/ Argumentativo.
     
  • Desenvolvimento tangencial do tema e apresentação embrionária do tipo de texto dissertativo/argumentativo; ou desenvolvimento tangencial do tema e domínio razoável do tipo de texto dissertativo-argumentativo; ou desenvolvimento razoável do tema e apresentação embrionária do tipo de texto dissertativo-argumentativo.
  •      
  • Desenvolvimento razoável do tema, a partir de considerações próximas do senso comum e domínio precário do tipo de texto dissertativo.
  •      
  • Desenvolvimento razoável do tema e domínio razoável do tipo de texto dissertativo-argumentativo.
  •      
  • Bom desenvolvimento do tema, a partir de um repertório cultural produtivo e de considerações que fogem ao senso comum, e bom domínio do tipo de texto dissertativo-argumentativo.
ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS:
     
  • Tema
  •      
  • Autoria: compreensão do tema, articulação de diferentes perspectivas para defesa de um ponto de vista
  •      
  • Utilização de conceitos de várias áreas
  •      
  • Citações, alusões, analogias, exemplificações, dados e informações
  •      
  • Estrutura
  •      
  • Introdução, desenvolvimento e conclusão
  •      
  • Encadeamento e progressão temática


COMPETÊNCIA 3 – Selecionar, Relacionar e Interpretar Informações, Fatos, Opiniões e Argumentos Em Defesa de Um Ponto de Vista.
     
  • Apresenta informações, fatos e opiniões precariamente relacionados ao tema proposto
  •      
  • Apenas apresenta informações, fatos e opiniões, ainda que pertinentes ao tema proposto, ou limita-se a reproduzir os argumentos da proposta de redação
  •      
  • Seleciona informações, fatos, opiniões, argumentos pertinentes ao tema proposto, organizando-os e relacionando-os de forma pouco consistente em relação ao seu projeto de texto
  •      
  • Seleciona, organiza e relaciona de forma consistente, informações, fatos, opiniões e argumentos pertinentes ao tema proposto em defesa do ponto de vista defendido em seu projeto de texto.
ASPECTO A SER CONSIDERADO: Coerência


COMPETÊNCIA 4 – Demonstrar Conhecimento dos Mecanismos Linguísticos Necessários para a Construção da Argumentação.
  • Desarticulação das partes do texto.
  •      
  • Articulação precária das partes do texto, devido a problemas frequentes na utilização de recursos coesivos.
  •      
  • Articulação razoável das partes do texto, com problemas eventuais na utilização dos recursos coesivos.
  •      
  • Boa articulação das partes do texto, sem problemas graves na utilização de recursos coesivos.
ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS:
     
  • Coesão lexical: sinônimos, hiperônimos, repetição, reiteração etc
  •      
  • Coesão gramatical: (uso de conectivos, tempos verbais, pontuação, seqüência temporal, relações anafóricas, conectores intersentenciais, interparágrafos, intervocabulares etc.)


COMPETÊNCIA 5 – Elaborar Proposta de Solução para o Problema, Mostrando Respeito aos Valores Humanos e Considerando a Diversidade Sociocultural.
     
  • Não elabora explicitamente uma proposta
  •      
  • Esboça algumas ideias que podem ser o núcleo de uma proposta, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural
  •      
  • Elabora proposta genérica de intervenção sobre a problemática desenvolvida, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural
  •      
  • Elabora proposta específica, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural

 
Além de não se esquecer destas cinco competências, é de fundamental importância ter em mente um parâmetro de texto, isto é, ler e analisar dissertações-argumentativas que obtiveram boas notas, tanto no Enem quanto em outros vestibulares, auxilia a enxergarmos as inadequações e as lacunas em nossos textos. Vamos ver um exemplo de redação nota alta no Enem?

Todos reconhecem a riqueza da diversidade no planeta. Mil aromas, cores, sabores, texturas, sons encantam as pessoas no mundo todo; nem todas, entretanto, conseguem conviver com as diferenças individuais e culturais. Nesse sentido, ser diferente já não parece tão encantador. Considerando a figura e os textos acima como motivadores, redija um texto dissertativo-argumentativo a respeito do seguinte tema.
O DESAFIO DE SE CONVIVER COM A DIFERENÇA
Ao desenvolver o tema proposto, procure utilizar os conhecimentos adquiridos e as reflexões feitas ao longo de sua formação. Selecione, organize e relacione argumentos, fatos e opiniões para defender seu ponto de vista e suas propostas, sem ferir os direitos humanos.
A Necessidade das Diferenças
De acordo com a Teoria da Educação das Espécies, o que possibilita a formação do mundo como conhecemos hoje foi a sobrevivência dos mais aptos ao ambiente. A seleção natural se baseia na escolha das características mais úteis e Estas somente se originam a partir das diferenças determinadas por mutações em códigos genéticos com o passar do tempo.
Se no âmbito Biológico as variações são imprescindíveis à vida, no sociológico não é diferente. Uma vez todos iguais, seríamos atingidos pelos mesmos problemas sem perspectiva de resolução, já que todas as ideias seriam semelhantes.
A maioria das pessoas está inserida em um contexto social contudo grandes inovações se fazem a partir do reconhecimento da individualidade de seus integrantes. Assim, é de nossa responsabilidade respeitar nossos semelhantes independentes de sexo, raça, idade, religião, visto que dependemos mutuamente.
Obviamente nem todas as diferenças são benéficas. Por exemplo, a diferença entre classes sociais não poderia assumir tal demissão. Para somá-la (?), necessitamos de uma melhor distribuição de renda aliada a oportunidades de trabalho, educação e saúde para todos.
Devemos nos conscientizar de que somos todos iguais em espécie, mas conviver com as diferenças (por mais difícil que pareça), pois elas nos enriquecem como pessoas. Nossos esforços devem ser voltados contra discriminações anacrônicas e vis, como o racismo ou perseguições religiosas. Estas não nos levam a lugar algum, apenas nos desqualificam como seres humanos.
Em negrito, sinalizamos as correções das quais esta redação necessitava. Nosso objetivo em exibi-la é mostrar que textos com notas altas não são textos sem inadequações e desvios e sim textos com teses e argumentos bem definidos; desde que estas inadequações não atrapalhem a fluidez da leitura do texto de maneira integral, poucos descontos de nota serão pontuados.
A proposta de intervenção social, nesta redação, é o maior ponto fraco, pois aponta a importância da conscientização, mas não disserta sobre como esta conscientização pode ser alcançada pelas pessoas. Caso este texto tivesse sido escrito em outro vestibular, não haveria problemas, mas o Enem tem como quinta competência a elaboração de uma proposta de intervenção social detalhada, algo que ficou falho neste caso, mas não impediu uma boa nota, pois há uma proposta: a conscientização.
Postar um comentário