NO INICIO DO BLOG

29 de abril de 2017

PRONOMES RELATIVOS

  • Pronomes relativos são pronomes que se relacionam sempre com o termo da oração que está antecedente, servindo ao mesmo tempo de elo de subordinação das orações que iniciam. Exercem, assim, uma função sintática na frase. Normalmente, introduzem as orações subordinadas adjetivas. Através da utilização de pronomes relativos, evitamos a repetição dos termos nas orações, sendo fácil relacioná-los e sintetizá-los.
    Exemplos:
    • Orações simples: Este é o museu. Eu visitei o museu.
    • Com pronome relativo: Este é o museu que eu visite.
    • Orações simples: Eu comprei a blusa. A blusa é amarela.
    • Com pronome relativo: Eu comprei a blusa que é amarela.

    Exemplos de pronomes relativos

    Formas invariáveis: que, quem, onde.
    Formas variáveis: o qual, a qual, os quais, as quais, cujo, cuja, cujos, cujas, quanto, quanta, quantos, quantas.
    Nota: Os pronomes relativos podem vir precedidos de preposição de acordo com a regência verbal dos verbos da oração.

    Uso dos pronomes relativos

    Que: É o pronome relativo mais utilizado, sendo considerado um pronome relativo universal. Refere-se a coisas ou a pessoas e pode ser substituído por: o qual, a qual, os quais e as quais. Além disso, pode aparecer precedido pelos pronomes demonstrativos o, a, os, as.
    Exemplos:
    • Acabei de lavar o vestido que estava sujo de tinta.
    • Já nem sei o que faço.
    Quem: Refere-se somente a pessoas, nunca a coisas. Vem sempre antecedido de preposição quando tem um antecedente explícito.
    Exemplos:
    • Este é o garoto a quem sempre amei.
    • É esta a professora de quem você falou?
    Onde: É utilizado para indicar um lugar, podendo ser substituído por: em que, no qual, na qual, nos quais e nas quais. Pode ser utilizado juntamente com preposições, formando as palavras aonde e donde para transmitir noções de movimento.
    Exemplos:
    • Este é o apartamento onde vivi quando pequena.
    • O hotel onde ficamos era cinco estrelas.
    Qual e suas flexões: Vem sempre precedido de um artigo. Emprega-se depois de preposições com duas sílabas ou mais e de locuções prepositivas.
    Exemplos:
    • Pensei nisso naquela noite de tempestade, durante a qual não consegui dormir.
    • Li um livro sobre o qual nunca tinha ouvido falar nada.
    Quanto e suas flexões: Aparece depois dos pronomes indefinidos tudo, tanto, todos, bem como suas flexões.
    Exemplos:
    • Compre tanto quanto for preciso.
    • Ele não fez tudo quanto havia prometido.
    Cujo e suas flexões: Aparece entre dois substantivos e transmite uma ideia de posse, sendo equivalente a: do qual, da qual, dos quais, das quais, de que e de quem. Deve concordar em gênero e número com a coisa possuída.
    Exemplos:
    • Escolheram os alunos cujas notas foram exemplares.
    • Preferem atletas cujo condicionamento físico está excelente.
    Fique sabendo mais!
    Os antecedentes com os quais os pronomes relativos se relacionam podem ser um substantivo, um pronome, um adjetivo, um advérbio ou uma oração. Contudo, com os pronomes quem e onde, é possível que sejam utilizados na frase sem o antecedente, chamando-se então de pronomes relativos indefinidos.
    Exemplo:
    • Quem copiou na prova, foi reprovado.
Postar um comentário