NO INICIO DO BLOG

8 de abril de 2017

Revendo esse conteúdo



Regência verbal é a relação de subordinação que ocorre entre um verbo e seus complementos.

Há pouco tempo foi exibido na televisão um anúncio cujo texto dizia:
“… a marca que o mundo confia.”

Acontece que quem confia, "confia em”. Logo, o correto seria dizer:
“… a marca em que o mundo confia.”

As pessoas falam “A rua que eu moro”, “Os países que eu fui”, “A comida que eu mais gosto”. O correto seria dizer “A rua em que moro” (quem mora, mora em...), “Os países a que fui” (quem vai, vai a...), “A comida de que mais gosto” (quem gosta, gosta de...).

O problema também está presente em uma letra da dupla Roberto e Erasmo Carlos, “Emoções”.

“… são tantas já vividas são momentos que eu não me esqueci…”

Se eu me esqueci, eu "me esqueci de". Quem esquece, "esquece algo". Quem se esquece, "esquece-se de algo". Logo, o correto seria “são momentos de que não me esqueci.” Pode-se, também, eliminar a preposição de e o pronome me. Ficaria “são momentos que eu não esqueci”.

Em um jornal de grande circulação o texto de uma campanha afirmava: 

"A gente nunca esquece do aniversário de um amigo.”

O que poderia ser corretamente escrito das seguintes formas:
“A gente nunca esquece o aniversário de um amigo.”
(quem esquece, esquece algo)
“A gente nunca se esquece do aniversário de um amigo.”
(quem se esquece, esquece-se de...)


Verbos Intransitivos
São os verbos que não necessitam ser completados. Sozinhos, indicam a ação ou o fato.

ComparecerChegarIrVirVoltarCair e Dirigir-se:
Estes verbos aparentam ter complemento, por exemplo, “Quem vai, vai a algum lugar”. Porém a indicação de lugar é circunstância, não complementação. Classificamos este complemento como Adjunto Adverbial de Lugar. É importante observar que a regência destes verbos exige a preposição a na indicação de destino e de na indicação de procedência. Só se usa a preposição em na indicação de meio, instrumento.
Irei em Santiago de Cuba; (errado)
Irei a Santiago de Cuba;
Vou em São Paulo; (errado)
Vou a São Paulo;
Muitos não compareceram na prova do Enem; (errado)
Muitos não compareceram à prova do Enem;
Jesus dirigiu-se aos apóstolos andando sobre o mar;
A comida caiu no chão; (errado)
A comida caiu ao chão;
Você caiu do céu;
Voltei de lá;
Cheguei de Curitiba há meia hora;


OBSO fenômeno denominado crase também ocorrerá quando houver um verbo intransitivo regendo a preposição a, seguido de um substantivo feminino, que exija o artigo a, como no terceiro exemplo acima.


MorarResidir e Situar-se:
São intransitivos mas costumam estar acompanhados de adjunto adverbial, regendo a preposição em.
Moro / Resido em Londrina;
Minha casa situa-se no Jardim Petrópolis;

Não utilize a preposição a para logradouros.
Minha casa situa-se à rua Pero Vaz; (errado)
Moro a cem metros da estrada;


Deitar-se e Levantar-se:
Deito-me às 22h e levanto-me bem cedo.



Verbos Transitivos Diretos
São verbos que indicam que o sujeito pratica a ação, sofrida por outro termo, denominado . Por essa razão, uma das maneiras mais fáceis de analisar se um verbo é transitivo direto é passar a oração para a voz passiva, pois somente verbo transitivo direto admite tal transformação, além dos verbos (des)obedecerpagar, perdoar, aludir, apelar, responder, assistir(ver), que admitem a passiva mesmo não sendo VTD. (Motivo: eram diretos antigamente.)

O objeto direto pode ser representado por um substantivo, palavra substantivada, oração (oração subordinada substantiva objetiva direta) ou pronome oblíquo. Uma vez que pronomes oblíquos tônicos (mim, ti, si, ele, ela, nós, vós, eles, elas) só são usados com preposição, quando estes representam objeto direto, tem-se um objeto direto preposicionado.


Vamos à lista, então, dos mais importantes verbos transitivos diretos:

Desfrutar e Usufruir:
São VTD, apesar de serem muito usados com a preposição de.
Desfrutei os bens deixados por meu pai.
Pagam o preço do progresso aqueles que menos o usufruem.
Desfrutaremos da aposentadoria na velhice.

Compartilhar:
É VTD, apesar de ser muito usado com a preposição de.
Berenice compartilhou o meu sofrimento.
Compartilharam de tudo durante a vida.



Verbos Transitivos Indiretos

São verbos que se ligam ao complemento por meio de uma preposição. O complemento é denominado . O objeto indireto pode ser representado por substantivo, palavra substantivada, oração (oração subordinada substantiva objetiva indireta) ou pronome oblíquo.

OBSEstes verbos admitem os pronomes lhe, lhes como objeto indireto; alguns, porém, não.

Obedeceu ao chefe => Obedeceu a ele => Obedeceu-lhe.

Mas há exceçõesassistir, aludir, referir-se, aspirar, recorrer, depender. Os gramáticos não trazem as razões históricas para esse modo peculiar de construção de alguns verbos. Nem precisariam fazê-lo, assim como não precisam justificar o motivo de um determinado verbo ser hoje transitivo direto e outro, transitivo indireto. Às vezes, os verbos são sinônimos, mas apresentam diferentes transitividades. Em verdade, a função primordial da Gramática não é fixar regras impositivas de cima para baixo, mas sistematizar os fatos e as condutas que encontra na língua como manifestação.

Assistir(ver), Aspirar, Visar, Aludir, Referir-se (a):
Todos falam desse filme, mas eu não assiti a ele ainda.

Constar (deem):
Quando se usa o verbo constar com o sentido de “estar escrito, registrado ou mencionado” ou “fazer parte, incluir-se”, as preposições – de e em – são corretas :
Seu nome consta da lista de aprovados.
Consta nos autos que...
Consta dos autos que...
Vou fazer constar o incidente em meu relatório.

Já quando constar tem o significado de “ser composto, constituído ou formado; consistir em algo”, usa-se apenas a preposição de:
A casa consta de partes grandes e arejadas.
Seu relatório constava de 50 páginas.

Obedecer e Desobedecer (a):
Obedeço a todas as regras da empresa.

Revidar (a):
Ele revidou ao ataque instintivamente.

Responder (a):
Responda aos testes com atenção.

Simpatizar e Antipatizar (com):
Não são verbos pronominais, portanto não se deve dizer simpatizar-se, nem antipatizar-se.
Sempre simpatizei com ele, mas antipatizo com seu irmão.

Sobressair (em):
Não é verbo pronominal, portanto não se deve usar sobressair-se.
No colegial, sobressaía em todas as matérias.

Torcer (porpara):
Pode ser também verbo intransitivo. Somente neste caso, usa-se com a preposição para, que dará início a Oração Subordinada Adverbial de Finalidade. Para ficar mais fácil, memorize assim:
Torcer por + substantivo ou pronome.
Torcer para + oração (com verbo).
Estamos torcendo por você.
Estamos torcendo para você conseguir seu intento.


Verbos bitransitivos

Também chamados de transitivo diretos e indiretos. São os verbos que possuem os dois complementos - objeto direto e objeto indireto.

AgradecerPagar e Perdoar:
São VTDI, com a preposição a. O objeto direto sempre será a coisa, e o objeto indireto, a pessoa.
Agradeci a ela o convite.
Paguei a conta ao Banco.
Se o time rival ganhasse, a torcida não perdoaria aos jogadores a derrota em casa.

Pedir:
É VTDI, com a preposição a. A frase deve ser sintaticamente estruturada assim:
“Quem pede, pede algo a/para alguém”;
“Quem pede, pede que alguém faça algo”;
Pedimos a todos que trouxessem os livros.
Pedimos que todos trouxessem os livros.

É inadequado ao padrão culto da língua:
 "Pedir para que alguém faça algo".

Preferir:
É VTDI, com a preposição a. Não admite ênfase, como: mais, muito mais, mil vezes.
Prefiro estar só a ficar mal acompanhado.

Informar, avisar, advertir, certificar, comunicar, lembrar, noticiar, notificar, prevenir:
São VTDI, admitindo duas construções:
“Quem informa, informa algo a alguém”;
“Quem informa, informa alguém de/sobre algo.”
Informamos aos usuários que não nos responsabilizamos por furtos ou roubos.
Informamos os usuários de que não nos responsabilizamos por furtos ou roubos.



Regência oscilante / Mais de uma Regência

Aspirar:
Será VTD, quando significar sorver, absorver.
Como é bom aspirar a brisa da tarde.

Será VTI, com a preposição a, quando significar almejar, objetivar.
Aspiramos a uma vaga naquela universidade.

Agradar:
Será VTI, com a preposição a, quando significar ser agradável; satisfazer.
Para agradar ao pai, estudou com afinco o ano todo.

Será VTD, quando significar acariciar ou contentar.
A garotinha ficou agradando o cachorrinho por horas.

Assistir:
Pode ser VTD ou VTI com a preposição a quando significar ajudar, prestar assistência.
Minha família sempre assistiu o Lar dos Velhinhos.
Minha família sempre assistiu ao Lar dos Velhinhos.

Será VTI com a preposição a quando significar ver ou ter direito.
Gosto de assistir aos jogos do Santos.
O descanso semanal remunerado assiste ao trabalhador.

Será VI quando implicar morada.
Assisto em Londrina desde que nasci.
O papa assiste no Vaticano.


Chamar:
Pode ser VTD ou VTI com a preposição a quando significar dar qualidade. A qualidade pode vir precedida da preposição de, ou não.
Chamei Pedro de bobo. (chamei-o de bobo)
Chamei a Pedro de bobo. (chamei-lhe de bobo)
Chamei Pedro bobo. (chamei-o bobo)
Chamei a Pedro bobo. (chamei-lhe bobo)

Será VTI com a preposição por quando significar invocar.
Chamei por você insistentemente, mas não me ouviu.

Será VTD, quando significar convocar.
Chamei todos os sócios para participarem da reunião.

Será VTDI, com a preposição a, quando significar repreender.
Chamei os meninos à atenção, pois conversavam na sala de aula.
Chamei-o à atenção.

Obs.Não confundir com a express]ao sem crase “chamar a atenção”, que não significa repreender, mas fazer ser notado.
O cartaz chamava a atenção de todos que por ali passavam.


Casar:
Será VI quando por si só apresentar sentido completo.
Eles casaram (ou se casaram – na qualidade de pronome reflexivo).

Será VTI quando requisitar um complemento regido pelo uso da preposição:
Ele se casou com a melhor amiga.

Será VTDI quando requisitar os dois complementos:
O vizinho casou sua filha com meu primo.


Custar:
Será VI quando significar ter preço.
Estes sapatos custaram muito.

Será VTDI, com a preposição a, quando significar causar trabalho, transtorno.
Sua irresponsabilidade custou sofrimento a toda a família.

Será VTI com a preposição a quando significar ser difícil. Nesse caso o verbo custar terá como sujeito aquilo que é difícil. A pessoa a quem algo é difícil será objeto indireto.
Custou-lhe acreditar em Maria.
Custou a ele acreditar em Maria.

Ele custou a acreditar... (está errado)


Atender:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição a.
Atenderam o meu pedido prontamente.
Atenderam ao meu pedido prontamente.


Anteceder:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição a.
A velhice antecede a morte.
A velhice antecede à morte.


Esquecer e Lembrar:
Serão VTD quando não forem pronominais, ou seja, quando não forem acompanhados de pronome oblíquo átono (esquecer-se, lembrar-se):
Esqueci que havíamos combinado sair.
Ela não lembrou o meu nome.


Esquecer-se e Lembrar-se:
Serão VTI, com a preposição de, quando forem pronominais:
Esqueci-me de que havíamos combinado sair.
Ela lembrou-se do meu nome.


Implicar:
Será VTD, quando significar fazer supor, dar a entender, produzir como consequência, acarretar.
Os precedentes daquele juiz implicam grande honestidade.
Suas palavras implicam denúncia contra o deputado.
As despesas extras implicam em gastos desnecessários.

Será VTI, com a preposição com, quando significar antipatizar.
Não sei por que o professor implica comigo.
Os alunos implicaram com o professor.

Será VTDI, com a preposição em, quando significar envolver alguém em algo.
Implicaram o advogado em negócios ilícitos.
Ela implicou-se em atos ilícitos.


Namorar:
Apesar de ser muito usado com a preposição com, que só deveria ser usada para iniciar adjunto adverbial de companhia, será VTD quando possuir os significados de inspirar amor a, galantear, cortejar, apaixonar, seduzir, atrair, olhar com insistência, cobiçar.
Joana namorava o filho do delegado.
O mendigo namorava a torta que estava sobre a mesa.
Eu estava namorando este cargo há anos.

Pode ser também VI:
Comecei a namorar muito cedo.

Presidir:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição a.
Presidir o país.
Presidir ao país.


Proceder:
Será VTI, com a preposição de, quando significar derivar-se, originar-se.
Esse mau humor de Pedro procede da educação que recebeu.

Será VTI, com a preposição a, quando significar dar início.
Os fiscais procederam à prova com atraso.

Será VI quando significar ter fundamento.
Suas palavras não procedem.


Renunciar:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição a.
Nunca renuncie seus sonhos.
Nunca renuncie a seus sonhos.


Satisfazer:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição a.
Não satisfaça todos os seus desejos.
Não satisfaça a todos os seus desejos.


Abdicar:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição de, e também VI.
O Imperador abdicou o trono.
O Imperador abdicou do trono.
O Imperador abdicou.


Gozar:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição de.
Ele não goza sua melhor forma física.
Ele não goza de sua melhor forma física.


Atentar:
Pode ser VTD ou VTI, com as preposições empara ou por.
Atente o ouvido.
Deram-se bem os que atentaram nisso.
Não atentes para os elementos supérfluos.
Atente por si, enquanto é tempo.


Cogitar:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição em ou de:
Começou a cogitar uma viagem pelo litoral brasileiro.
Hei de cogitar no caso.
O diretor cogitou de demitir-se.


Consentir:
Pode se VTD ou VTI, com a preposição em.
Como o pai desse garoto consente tantos agravos?
Consentimos em que saíssem mais cedo.


Ansiar:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição por:
Ansiamos dias melhores.
Ansiamos por dias melhores.


Almejar:
Pode ser VTD ou VTI, com a preposição por, ou VTDI, com a preposição a.
Almejamos dias melhores.
Almejamos por dias melhores.
Almejamos dias melhores ao nosso país.


FaltarBastar e Restar:
Podem ser VI ou VTI, com a preposição a.
Muitos alunos faltaram hoje.
Três homens faltaram ao trabalho hoje.
Resta aos vestibulandos estudar bastante.


Pisar:
Pode ser VI ou VTD. Quando for VI, admitirá a preposição em, iniciando Adjunto Adverbial de Lugar.
Pisei a grama para poder entrar em casa.
Não pise no tapete, menino!


Prevenir
Pode ser VTD fazendo referência a evitar dano:
A precaução previne acontecimentos inesperados.

Pode ser VTDI referindo-se ao ato de avisar com antecedência.
Prevenimos os moradores de que haveria corte de energia.


Querer:
Será VTI, com a preposição a, quando significar estimar.
Quero aos meus amigos, como aos meus irmãos.

Será VTD, quando significar desejar, ter a intenção ou vontade de, tencionar.
Sempre quis seu bem.
Quero que me digam quem é o culpado.


Visar:
Será VTI, com a preposição a, quando significar almejar, objetivar.
Sempre visei a uma vida melhor.

Será VTD, quando significar mirar, ou dar visto.
O atirador visou o alvo, mas errou o tiro.
O gerente visou o cheque do cliente.


Proibir:
Pode ser VTD. Proibir alguma coisa: 
A lei brasileira proíbe o aborto.

Pode ser VTDI. Proibir alguém de alguma coisa / Proibir alguma coisa a alguém: 
O pai proibiu o filho de viajar.
A ANVISA proíbe oferecer premios à indústria farmacêutica.




Verbos que podem ser usados como TD ou TI, sem alteração de sentido:
·         abdicar (de)
·         acreditar (em)
·         almejar (por)
·         ansiar (por)
·         anteceder (a)
·         atender (a)
·         atentar (em, para)
·         cogitar (de, em)
·         consentir (em)
·         crer (em)
·         deparar (com)
·         desfrutar (de)
·         desdenhar (de)
·         gozar (de)
·         necessitar (de)
·         preceder (a)
·         precisar (de)
·         presidir (a)
·         renunciar (a)
·         satisfazer (a)
·         versar (sobre).

Exemplos:
·         Precisamos pessoas honestas.
·         Precisamos de pessoas honestas.
·         Nunca cri pessoas que falam muito de si próprias.
·         Nunca cri em pessoas que falam muito de si próprias
Postar um comentário