NO INICIO DO BLOG

6 de outubro de 2016

ENEM

Média das Notas da Redação no Enem 2015 Por Escolas | infoEnem



Na última quarta-feira, dia 04 de outubro de 2016, o Governo Federal publicou os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio – Enem – edição 2015, incluindo o desempenho de cada escola cujos alunos participaram e não tiveram nenhuma nota zero nos dois dias de prova.
Abaixo, um gráfico resume os números e compara os dados dos anos 2014 e 2015:
media_geral
Em um primeiro momento, o aumento da nota da Redação do Enem 2015 em relação à edição de 2014 salta aos olhos: há dois anos atrás, a média da prova de produção de texto cujo tema foi “Publicidade Infantil em Questão no Brasil” foi de 491 pontos; por outro lado, a média da mesma prova no ano passado, cujo tema foi “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” foi de 543.
Apesar deste crescimento, temos de ter muita atenção e cuidado ao analisar esses dados. Estudando todos os dados publicados pelo Governo Federal, que podem ser encontrados aqui, podemos notar que, em uma mesma escola, alunos obtiveram desempenhos muito diferentes na redação e que, entre si, as instituições escolares também apresentam diferenças, inclusive diferenças gritantes se compararmos colégios públicos com privados, escolas técnicas, cujo acesso se dá por meio de vestibulinho e escolas municipais e estaduais e também se compararmos colégios privados, já que todas estas instituições atendem a um determinado tipo de alunado, principalmente em relação ao nível socioeconômico.
Além disso, apesar do aumento da média na prova de redação do Enem, nossos alunos concluintes do Ensino Médio, em sua esmagadora maioria, não conseguem produzir um texto dissertativo-argumentativo sobre um tema atual e socialmente relevante acima da média, segundo os dados publicados. Isso significa, portanto, que apenas uma minoria dos candidatos que presta o Enem obtém uma nota acima da média na prova de redação.
Anteriormente, já questionamos essa informação e a quantidade de terceiras correções na correção da prova de produção textual, pois os números de redações com notas máximas são muito baixos e os de terceira correção são muito altos, o que pode sinalizar que não há curvas de notas e que os corretores não estão afinados entre si e em relação à grade.
Apesar desta incerteza de nossa parte, podemos afirmar que a média da nota de redação acompanha, de certa forma, a média nas provas da área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias que, inclusive, foi maior em 2014 (511 pontos) do que em 2015 (504 pontos).
Como afirmamos várias vezes nesta coluna, uma prova de produção de texto é uma prova de leitura e escrita, já que o candidato deve ler a proposta de redação adequadamente a fim de entendê-la e cumprir a tarefa. Neste sentido, em uma prova de Português na qual há uma grande quantidade de questões de interpretação de textos (verbais, multimodais, não-verbais etc) e que a nota também está abaixo da média, assim como em redação, podemos constatar que os candidatos não estão se saindo bem em ambas as provas nas quais a leitura é fundamental.
O candidato que não interpreta o enunciado e/ou a coletânea de textos corretamente, tem muito mais chances de errar a alternativa e/ou de não cumprir adequadamente a tarefa de escrever uma dissertação-argumentativa sobre determinado tema.
Assim, concluímos que há, ainda, muito a ser feito em relação ao ensino de leitura e escrita em Língua Materna no Brasil, apesar do aumento da média da prova de redação no Enem 2015. Todo o sistema precisa ser discutido, debatido e revisado por e entre professores, alunos, gestores, responsáveis, especialistas em educação de todas as disciplinas e em didática etc, além de valorizar mais a carreira docente, incentivar a formação especializada, aumentar os salários, as condições e a infraestrutura das escolas públicas dentre outros fatores, ou seja, aumentar a qualidade do ensino no Brasil como um todo desde a educação infantil, onde tudo começa, chegando ao Ensino Médio e passando pelo Ensino Fundamental.
Postar um comentário